Início Estratégias de Marketing Como vender mais pela internet: aprenda 7 dicas agora!

Como vender mais pela internet: aprenda 7 dicas agora!

como-vender-mais-pela-internet-ecommerce

O ambiente online é, hoje, responsável por milhares de vendas anuais. Só no ano de 2017, os e-commerces faturaram R$47 bilhões. Assim, cada vez mais, gestores passam a perceber a importância de estar na web. No entanto, não basta apenas estar presente. É imprescindível ir em busca de estratégias de como vender mais pela internet.

Isso porque a partir do momento em que novos players entram na área, a concorrência também aumenta, o que demanda ações para se diferenciar e conseguir estar à frente.

Dessa forma, reunimos, neste artigo, algumas orientações valiosas para seu comércio faturar mais no fim do mês. Acompanhe!


1. Diversifique os canais de venda

Existem muitos meios para que um usuário chegue a sua loja online. Vender em marketplaces, por exemplo, pode ser uma boa estratégia a fim de conseguir mais transações. Isso porque esses ambientes, por já serem conhecidos pelo público e terem bastante autoridade, costumam passar mais confiança àquele que tem algum receio de consumir de um comércio desconhecido.

Americanas, Shoptime, Pontofrio são apenas alguns dos exemplos nos quais o varejista pode investir, para garantir mais saídas dos produtos e levar mais conversão ao e-commerce.

Variar os tipos de tráfego, em orgânico ou pago, é, ainda, mais uma sugestão de como vender mais pela internet. No primeiro caso, é necessário realizar a otimização do site, tática que falaremos no próximo item. Já no segundo, o gestor investe em divulgações, que podem ser no Google, para que a loja fique nos primeiros resultados, ou nas redes sociais, com anúncios segmentados.

2. Otimize as páginas para conversão

Para otimizar páginas são necessários vários tipos de ações. O SEO é uma tática, com uso de palavras-chave, para que o site possa ser encontrado nos mecanismos de busca. Dessa maneira, quando um usuário procurar por algum produto, encontra algum que a loja venda.

Ter fotos de qualidade é outro ponto que deve ser dado atenção. Um consumidor, quando visualiza o item, precisa se certificar de que este atenderá às suas expectativas. Seguindo a linha de pensamento de deixar o usuário mais confiante com a mercadoria, uma descrição bem-feita é capaz de terminar de convencer um comprador indeciso.

3. Invista em uma boa plataforma

Contar com uma plataforma eficiente é fundamental para o aumento das vendas no e-commerce. É importante que ela seja competente para que não frustre algum processo de compra, seja pela apresentação de falhas no servidor ou pela dificuldade em fazer a gestão dos produtos.

Existem diversos fatores que o gestor precisa observar ao adquirir uma. Ela deve permitir certa customização do layout, para que o e-commerce tenha condições de atrair mais consumidores pela identificação que ele proporciona. Facilitar o uso do SEO é um item primordial. Além disso, precisa simplificar o momento de inserir produtos e administrar a classificação destes.

Mais um ponto é a velocidade de carregamento, pois a lentidão nesse aspecto tende a levar ao aumento da evasão e desistência das compras. Também é relevante dar valor à possibilidade de permitir a integração do comércio com o marketplace para o aumento da conversão.

4. Faça marketing digital constantemente

Há uma diversidade grande de estratégias no mundo do marketing e cada qual apresenta vantagens específicas. Banners podem ser inseridos em lojas parceiras ou no Google, para que o consumidor saiba de alguma oferta ou novidade.

O remarketing é uma técnica para captar de volta aquele usuário que tenha se interessado pelo seu produto. Tais itens são mostrados novamente, por meio de anúncios que aparecem em outras páginas nas quais ele visita, o que aumentam as chances de ele clicar e ser levado ao site da loja.

Já o marketing de conteúdo é uma técnica de inbound que tem como objetivo educar o consumidor com conteúdos relevantes, a fim de que, no momento em que ele precisar de um serviço oferecido pela sua marca, lembre-se de você.

Todavia, independentemente da escolha, não deixe de investir em algum tipo ― ou em várias formas ― de marketing, de forma recorrente, ainda que sua loja já conte com um bom tempo de estrada.

5. Monitore a jornada do cliente

Analisar o comportamento do consumidor é essencial para o comerciante ter insights das estratégias que precisam ser adotadas, a fim de levar o visitante à próxima etapa da jornada de compra.

Algumas ferramentas, com um software de CRM, são capazes de monitorar preferências e ações, como: idade, localização geográfica, tipo de conteúdo mais curtido nas redes sociais, interação por e-mail, produtos mais buscados no site, tempo de permanência na página, etc.

A intenção é perceber o que mais interessa, descobrir o que faz falta e suprir todas as necessidades, a fim de que os clientes cheguem à etapa do checkout.

6. Ofereça um atendimento impecável

O relacionamento que o consumidor tem com a marca é importante para garantir o engajamento. Esse fato depende, entre outras coisas, da atenção que a loja oferece antes e depois das compras.

É interessante poder contar com vários canais de comunicação, a fim de atender a todo tipo de cliente. Pelas redes sociais, é possível postar conteúdos e incentivar a interação nas postagens.

No ambiente da plataforma, o gestor pode inserir um chat online, para que o usuário tenha facilidade se precisar tirar uma dúvida ou fazer reclamação. E por falar em insatisfação, nunca deixe de responder algum comentário desse tipo. Dar importância a isso reflete na imagem que outros consumidores terão da marca.

7. Analise os produtos mais rentáveis

Em todo comércio existem aqueles itens que costumam ter grande liquidez e outros que não têm tanta demanda. Fazer a gestão de cada tipo de mercadoria poderá dar ao comerciante maior conhecimento do que vem funcionando.

O princípio de Pareto parte do pressuposto de que 80% do rendimento vêm de apenas 20% dos produtos. Classificar os itens na curva ABC ajudará o gestor a saber quais as mercadorias mais rentáveis. Segundo o método, os produtos são divididos da seguinte forma:

  • itens A: existem em menor quantidade, por volta de 20%. No entanto, têm um valor financeiro mais alto, sendo responsáveis por, aproximadamente, 80% do faturamento;
  • itens B: existem em quantidade moderada, 30%, têm valor financeiro médio e são responsáveis por aproximadamente 15% do faturamento;
  • itens C: existem em maior quantidade, 50%. Ao mesmo tempo, têm um valor financeiro mais baixo e são responsáveis por aproximadamente 5% do faturamento.

A ideia é saber que apesar de os produtos da categoria C terem mais saída, não dão tanto retorno financeiro à loja. É importante mantê-los, para evitar a ruptura de estoque. Porém, ter produtos da classe A é essencial.

Assim, percebemos que, mesmo que o comerciante já esteja no ambiente da internet há um tempo, ele nunca deve deixar de lado estratégias para obter mais sucesso. Coloque em prática essas dicas de como vender mais pela internet e veja seu rendimento crescer.

Nesse sentido, é importante se lembrar da importância de contar com uma boa plataforma de e-commerce que proporcione uma excelente experiência de compra, otimizando as conversões e promovendo mais satisfação para os consumidores.

Para aprofundar no assunto, baixe agora o nosso Guia Definitivo de Migração de Sucesso e veja como a Esporte Legal conseguiu excelentes resultados com a mudança de plataforma de e-commerce!

Baixe agora o Guia definitivo da migração de sucesso