Início Gestão E-commerce D2C: conheça as principais vantagens para a indústria

E-commerce D2C: conheça as principais vantagens para a indústria

e-commerce d2c

O avanço da tecnologia em vários campos, principalmente comunicação e automação, criou novas oportunidades para negócios que não seriam possíveis algumas décadas atrás.

O e-commerce D2C é um grande exemplo disso. Essa modalidade de loja virtual está transformando a relação entre marcas e público, dando muito mais controle e personalidade para as empresas que investem nela.

Mas o que é D2C? Por que e como aplicar? Neste artigo, você vai descobrir a resposta para essas perguntas. Vamos lá?

 

O que é a estratégia Direct to Consumer?

Antes da popularização da internet, a única forma que a indústria tinha para ter alcance grande para seus produtos era contando com os varejistas.

Uma empresa podia até ter lojas próprias para seus produtos, mas, a não ser que houvesse um investimento imenso na estratégia, ela estaria sempre limitada à área de influência de seus pontos de venda.

Hoje, é possível ter uma loja própria que esteja visível e disponível em todo o mundo, sem barreiras físicas. Perante esse cenário, vários negócios começaram a perceber que poderiam ter muito mais engajamento no relacionamento com a marca se pudessem gerir a jornada do consumidor do início até o fim.

Essa é a estratégia Direct to Consumer. Em vez de buscar os varejistas que se alinham em mensagem e público-alvo com o seu produto para vender, marcas estão preferindo ser elas mesmas o ambiente em que o cliente descobre, considera e realiza a compra.

Várias marcas mundiais estão apostando nessa estratégia, seja exclusivamente ou em conjunto com outras frentes de venda. É o caso de algumas notáveis como Apple e Nike.

Quais as vantagens de possuir um e-commerce D2C?

Para entender por que tantas empresas estão migrando para o e-commerce D2C, é só considerar os benefícios que a estratégia está trazendo de retorno para quem aposta nela. As vantagens são diversas, mas podemos agrupá-las em 3 pontos principais.

Controle sobre a mensagem e sobre o produto

Mesmo em parcerias próximas em uma cadeia de varejo, é difícil controlar como seu produto está sendo exibido e apresentado para o seu público em ambientes de terceiros.

Quem busca mais controle sobre como seu produto é visto, a mensagem que ele passa e qual público atrai está preferindo colocar toda essa cadeia dentro de sua estratégia. A empresa tem a capacidade de elaborar e adaptar sua identidade em ajustes finos, otimizando ao máximo os resultados dentro do perfil de cliente que mais se engaja.

Relacionamento mais próximo

A consequência desse controle de mensagem é que o negócio consegue falar com seu público sem ruídos. Você conhece melhor seu cliente e pode explorar novos canais de comunicação que gerem mais conexão com ele. Tudo isso já atrelado a um funil de vendas.

Faturamento mais rápido

E é claro que não dá para não citar os ganhos financeiros do D2C. A eliminação de intermediários aumenta a margem de lucros e agiliza o faturamento, que entra diretamente no caixa da empresa.

Quais são os principais desafios do D2C?

Para garantir todas essas vantagens no e-commerce D2C, é preciso estratégia. Não é só montar uma loja própria e achar que isso vai resolver todos os problemas. Veja quais são os maiores desafios para ter sucesso!

Logística de entrega

Varejos já têm sua operação logística consolidada; por isso, é preciso inteligência e otimização para competir na qualidade da entrega.

É um desafio que vai exigir planejamento interno para processamento de pedidos, tecnologia e automação na gestão e, se possível, parcerias com empresas especializadas.

Atendimento de qualidade

Se o objetivo do D2C é criar uma conexão mais próxima e significativa com seu cliente, que gere engajamento e fidelização, a qualidade do atendimento vai fazer toda a diferença para o sucesso da estratégia. Ela precisa não só ser eficiente, como acompanhar a identidade criada para seu produto.

Gestão mais abrangente

A gestão D2C envolve muita operação: no estoque, nos pedidos, na entrega, na resolução de problemas. A integração de dados com sistemas empresariais é a saída para vencer esse desafio, dando a visão necessária para gerir tantos aspectos diferentes de uma administração.

Adequação a um novo público

O público que consome marcas diretamente é mais exigente na personalização, no tratamento, no atendimento e na qualidade do serviço em geral. 

Quem aposta no D2C precisa saber que vai ser cobrado por essa expectativa e nutrir melhor esse público engajado. O ganho em fidelização quando esse patamar é alcançado vale muito a pena.

Como transformar seu e-commerce em D2C?

É óbvio que, se você quer investir no Direct to Consumer, vai precisar fazer readequações administrativas, financeiras e principalmente operacionais.

Mas queremos terminar o texto com outro foco muito importante: como deve ser a sua estratégia de consolidação no D2C. Veja algumas dicas para começar uma loja virtual própria para seus produtos!

Pense na identidade do seu produto

Seja B2B ou B2C, toda marca tem uma identidade, mesmo que seus gestores não a busquem ativamente. É hora de tomar controle dessa personalidade.

Identifique nas características do seu produto oportunidades de tratá-lo mais pessoalmente e como essa mensagem seria passada ao público. Identidade traz proximidade e exclusividade. São valores agregados incríveis para qualquer negócio.

Entenda a sua persona e torne-a o foco da estratégia

Essa identidade vai partir muito também do público que você quer atingir. Quem é a sua persona? Quais são os seus hábitos? Como consome seu produto, mídia, informação?

Esse conhecimento vai facilitar a elaboração de uma mensagem e uma abordagem que seja mais atrativa para o cliente que você quer conquistar. No D2C, esse é um fator muito importante para a decisão de compra.

Abuse do omnichannel

Uma empresa que vende diretamente para o consumidor precisa de alcance em sua mensagem, estando disponível em todos os canais de comunicação que possam ser utilizados pela persona.

É aí que entra a fundamental estratégia do omnichannel. O Direct to Consumer pode ser uma mistura de loja virtual e física e ainda complementar com marketplaces e outras iniciativas, como vendas em redes sociais.

Quanto mais canais, mais clientes são expostos à personalidade da sua marca. Quanto mais bem desenvolvida ela for, com foco no cliente, mais próxima ela estará do seu público.

Levantando todos esses pontos, é fácil entender por que tantas marcas estão apostando em e-commerce D2C: é a oportunidade perfeita para criar um público cativo e cortar todos os intermediários ao longo dessa relação.

Baixe o e-book: montar
e-commerce de sucesso
Saiba como aproveitar um mercado que movimenta quase R$60 bilhões por ano ao iniciar uma operação online de sucesso!

Quero ler o e-book agora!