Início Segurança Aprenda o que fazer para que o e-commerce jamais fique fora do...

Aprenda o que fazer para que o e-commerce jamais fique fora do ar

prevenir-ecommerce-fora-do-ar

Imagine a situação de você se preparar para um grande dia de vendas, como uma data comemorativa bem esperada, fazer investimentos em marketing, garantir um estoque aumentado, mas se deparar com a surpresa do e-commerce fora do ar.

Além de ter as transações prejudicadas, é possível que alguns consumidores façam reclamações em sites como o Reclame Aqui, depreciando a reputação da marca.

A saída para isso é adotar ações preventivas, que deixem sua loja preparada para esse tipo de situação e com a estrutura necessária para receber muitos acessos ao mesmo tempo. Conheça as principais a seguir!


Contar com uma plataforma robusta

A escolha da plataforma é uma das principais decisões, ao decidir abrir uma loja virtual, visto que é nela que serão realizadas todas as ações necessárias para a empresa funcionar, como cadastro de produtos, controle das vendas e gestão de pagamentos. Além disso, ela influencia em estratégias que tornam o comércio mais profissional, como otimização de SEO, praticidade na navegação e melhoria do layout.

Você encontrará tipos diferentes, como:

  • open source: são de código aberto e totalmente customizáveis. Geralmente há versões sem cobrança de taxas. No entanto, essa simplicidade é uma brecha para que invasores acessem rapidamente os dados privados;

  • proprietária: tem o código fechado e, por isso, apresenta um pouco mais de segurança que a open source. Porém, tende a gerar alto custo com a infraestrutura;

  • SaaS: na Software as a Service, o lojista contrata um espaço em nuvem, para que todos os dados sejam armazenados. Dessa forma, ela tende a ser mais robusta, já que a navegação e armazenagem em nuvem dão mais estabilidade e maior espaço para as informações.

Ainda que seu comércio seja iniciante, é interessante pensar na longevidade do negócio, evitando opções temporárias e priorizando uma plataforma que atenda suas necessidades no longo prazo e, principalmente, para as épocas de muito acesso.

Observar o redirecionamento

Muitos sites de empresas, principalmente de lojas virtuais, podem precisar fazer um redirecionamento de URL, a fim de que o usuário possa continuar navegando mesmo que a página tenha saído do ar ou substituída por um novo destino.

Essa ação também é chamada de “redirect 301” e tem a função de avisar o servidor que determinada página se tornou outra. No entanto, quando existe algum erro nesse redirecionamento, o site ficar fora do ar. Para evitar a situação, é importante checar se todas essas ações foram informadas da forma correta.

Dar atenção à hospedagem do site

Cada plano de hospedagem tem um tipo de capacidade de armazenamento e estabilidade do servidor. Caso aconteça de o comércio online chegar ao limite estabelecido no plano, ele corre riscos de sair do ar.

Além do mais, ao somarmos essa limitação à quantidade de acessos simultâneos e ao uso excessivo de FTP ─ uma espécie de conexão para a troca de arquivos entre computadores com acesso à web ─ as falhas tendem a piorar.

Essa realidade obrigaria o gestor a entrar em contato com a empresa de hospedagem, a fim de consertar a situação, o que demandaria ainda mais atraso no funcionamento da loja.

Já uma arquitetura em nuvem disponibiliza uma variedade de servidores. Dessa forma, se um estiver com problema, outro o substitui na mesma hora e automaticamente.

Fazer a configuração adequada

Quando a hospedagem não é em nuvem, ela precisa ser configurada pelo gestor ou pela equipe de TI. Algum erro nesse processo gera falhas, que impedem o funcionamento adequado do site e deixam o e-commerce fora do ar.

Assim, procure por um serviço que ofereça o suporte necessário para resolver essas questões. Ou então, contrate uma plataforma que já venha configurada e não tenha o risco de dar esse trabalho a mais para você.

Levar em consideração a disponibilidade do servidor

Cada tipo de plataforma conta uma espécie de servidor, que tem características particulares, como o uptime. Ele se refere ao seu tempo de atividade. Assim, quando é alto, as chances de um site sair do ar são baixas.

O servidor em nuvem apresenta um número ótimo de uptime, girando em torno de 99,9%, o que significa que a possibilidade de o site ficar indisponível é de 0,1%. Traduzindo para a prática, em 8.760 horas de um ano inteiro, o seu e-commerce poderia ficar, no máximo, 8 horas sem funcionar. Assim, um servidor cloud apresenta elevado SLA (Service Level Agreement) e maior confiabilidade.

Lembre-se de que no ambiente virtual seu comércio precisa funcionar 24h por dia, durante os 7 dias da semana.

Invista em proteção

A segurança também é muito importante, pois é ela que livrará o e-commerce de ataques que tenham o intuito de derrubar o site, como o DDoS (Distributed Denial of Service). Ele acontece quando computadores infectados acessam a loja virtual várias vezes em um curto espaço de tempo.

Além disso, uma boa proteção evita falhas em certificados, as quais costumam vir com o bloqueio dos navegadores, como o SSL expiration (HTTPS). Isso ocorre porque os certificados de criptografia têm um prazo específico para funcionar, precisando ser renovados ou substituídos após um tempo, a fim de que o site não se torne indisponível.

Faça o monitoramento constante

Se mesmo depois desses cuidados, seu site ainda apresentar falhas, analise o histórico de erros e as reclamações mais reportadas pelos consumidores. Também verifique se a página está usando muitos recursos de servidores, o que costuma acontecer quando a plataforma não é SaaS. Mais uma ideia é comparar o desempenho em todos os dias em que houve erros, a fim de tentar encontrar um denominador em comum.

Ter o e-commerce fora do ar não é só uma preocupação logística, mas também financeira, pois apenas alguns minutos de falhas geram perdas de centenas de vendas e lucro, principalmente em datas que costumam ter bastante acesso. Assim, é fundamental adotar uma solução de e-commerce robusta e, preferencialmente, em SaaS.

Nas plataformas de e-commerce SaaS, como a armazenagem é em nuvem, evitando problemas típicos de instabilidade e lentidão de servidor, sobretudo nas opções mais completas e corporativas. Isso é essencial, já que um site sempre online mantém o cliente mais engajado e colabora para sua boa experiência de compra.

Assim, o sistema escolhido para viabilizar sua loja virtual tem um grande impacto no seu funcionamento e na prevenção de situações negativas.

Para saber mais sobre o impacto que a opção por uma plataforma de e-commerce de alta performance pode ter no seu negócio, baixe o e-book e confira o case sobre como a Livraria Florence aumentou seu número de transações em 120% após a migração!

Baixe agora o Case de Sucesso: migração da Livraria Florence