Início Gestão Gestão de fornecedores: veja 7 dicas para um bom relacionamento

Gestão de fornecedores: veja 7 dicas para um bom relacionamento

gestao-de-fornecedores-ecommerce

No âmbito empresarial da atualidade é necessário que as companhias busquem continuamente novas maneiras de executar seus procedimentos, a fim de aumentar sua eficiência e obter uma fatia maior de mercado. Por isso, a gestão de fornecedores do seu empreendimento (físico e/ou virtual) é algo que demanda total atenção.

Por meio dessa prática de gerenciamento é possível obter diversas vantagens em vários pontos, como garantir a qualidade das mercadorias, controlar gastos, obter flexibilidade de pagamentos, evitar faltas de estoque e melhorar a competitividade do negócio.

Felizmente, existem algumas abordagens que contribuem muito para o sucesso dessa atividade. Nesse sentido, para alcançar o efeito esperado é fundamental pensar que o fornecedor é uma das peças centrais de um comércio e que sem ele não há como atender as necessidades dos consumidores.

Uma vez entendida essa importância, a relação precisa ser mantida da maneira mais clara e saudável possível. Deseja saber como? Então confira as dicas deste artigo.


1. Conheça a reputação do negócio

Vivência de mercado não é tudo. Afinal, o fornecedor pode ter décadas de atuação e, apesar disso, não atender bem seus clientes. Portanto, avalie também a reputação que a marca tem. É possível buscar informações em fóruns sobre troca de experiências entre lojistas para conferir depoimentos de quem já adquiriu produtos de fornecedores que você pretende fechar negócio.

As mídias sociais também são ótimas aliadas nesse processo. Os canais do YouTube e os grupos do Facebook sempre são úteis para captar críticas de valor. Por fim, acesse páginas como o Proteste e o Reclame Aqui para pesquisar o volume de reclamações, o número de casos solucionados e o assunto que é mais reclamado.

2. Avalie o atendimento

Quando for fazer seu primeiro pedido para testar a qualidade da marca fornecedora, aproveite o momento para avaliar também o atendimento. Essa prestabilidade é importantíssima para momentos de urgência por algum produto específico.

Se o diálogo não for ágil e objetivo já na primeira compra, é bem provável que nas posteriores isso não mude. A atitude e prontidão do atendente precisa cumprir as demandas do cliente. Por isso, é bom fazer esse teste, simulando eventualidades após a encomenda.

Faça contato e solicite suporte em relação às mercadorias e, inclusive, peça outras informações para observar a proatividade e o nível técnico dos atendentes. Caso você não tenha a atenção devida e não consiga solucionar algum problema, talvez seja o caso de procurar outro fornecedor que o atenda melhor.

3. Crie uma relação amigável

A partir da lista de fornecedores, tente criar um laço de amizade com, pelo menos, dois vendedores de cada marca para formar um vínculo de confiança duradouro. Para isso, escolha momentos mais propícios, como as manhãs das segundas-feiras ou as tardes das sextas, e realize contatos não comerciais para dialogar sobre temas de interesse mútuo.

Ao descobrir do que eles mais gostam, marque os temas para se atualizar e esticar a conversa. Dentro de pouco tempo, essa prática pode transformar-se em uma amizade que pode ser aplicada em prol da empresa. O objetivo aqui não é que você seja frio ou dissimulado. Seja sempre sincero e lembre-se de que os retornos alcançados são apenas consequências das relações construídas.

Ademais, mostre ao seu fornecedor os retornos que ele terá com o seu estabelecimento divulgando as mercadorias dele e que o sucesso de ambos é o objetivo dessa aliança. Porém, não fique somente no discurso, faça algo para convencê-lo.

4. Estabeleça uma comunicação clara

Você já ouviu falar do ditado “combinado não sai caro”? Lembre-se dele no momento de negociar com seus fornecedores. É indispensável que tudo esteja alinhado, desde as demandas até o preço final.

Informações incompletas deixam a conversa com um tom duvidoso, e isso é muito ruim quando o intuito é fortalecer a confiança entre as partes. Por isso, é preciso que você:

  • esclareça suas dúvidas sempre;

  • elabore um contrato detalhado;

  • faça os pedidos de forma bastante precisa;

  • levante todas as exigências envolvidas.

Com isso, você consegue compreender as suas expectativas em relação ao serviço prestado.

5. Elabore um plano de crescimento da parceria

Em um âmbito de crescimento e colaboração conjunta, pensar no longo prazo é essencial. Isso é benéfico tanto do ponto de vista do relacionamento quanto em relação a outras questões como taxas, gestão de estoque, recompras, variações de câmbio, etc.

Sendo assim, elabore um planejamento de longa duração e envie-o ao fornecedor. Dessa forma, seu estabelecimento terá uma estimativa de gastos e demandas, o que permite se programar para atender às necessidades dos consumidores com qualidade e prazos factíveis.

Fora que seu parceiro terá em mãos uma previsão de faturamento e requisições (pedidos), a fim de oferecer as melhores condições possíveis para você.

6. Tenha uma carteira diversificada de fornecedores

Depender de poucos parceiros não é nada vantajoso para os negócios, seja no que se refere à questão econômica ou à qualidade do que é adquirido. Evidentemente, é importante firmar contratos de fidelidade, mas ter um plano alternativo e opções no momento de negociar é uma boa saída para problemas que podem surgir no meio do caminho, principalmente quando o assunto é logística.

Contratempos diversos podem ocorrer com os fornecedores, logo, ao ter outros caminhos, o fluxo da empresa não fica prejudicado. Do mesmo modo, a disputa saudável entre as marcas fornecedoras pode ser proveitosa para o negócio.

Aqui, você pode utilizar um software de gestão de compras para gerenciar melhor os fornecedores do mix de produtos que você vende. Com ele, é possível classificá-los de acordo com as prioridades do seu varejo e descobrir quais deles podem prestar socorro em momentos de emergência, o que agiliza suas reações diante de problemas atípicos que podem surgir no meio do caminho.

7. Estude e negocie condições

Estudar cuidadosamente as propostas dos fornecedores (formas de pagamentos, preços, prazos, etc.) é crucial. Ao fazer isso, você evita conflitos e aborrecimentos futuros, conservando suas parcerias por mais tempo.

Além disso, esse tipo de negociação precisa sempre ser seguida pela regra ganha-ganha, ou seja, ambos os lados devem concordar com o acordo final. Dessa forma, suas relações durarão mais tempo e renderão diversos benefícios em médio e longo prazos.

Como você pôde ver ao longo deste conteúdo, a gestão de fornecedores é vital para o sucesso do seu empreendimento — independentemente de ele ser físico, online ou híbrido. É o que vai garantir a influência competitiva para reagir aos contratempos do mercado. Portanto, não perca mais tempo e comece hoje mesmo a colocar essas dicas em prática!

Para conhecer mais maneiras de potencializar os resultados do seu negócio, baixe agora o nosso Guia Definitivo de Migração de Sucesso e veja como a Esporte Legal conseguiu excelentes resultados com a mudança de plataforma de e-commerce!

Baixe agora o Guia definitivo da migração de sucesso