Início Logística 8 inovações em logística que devem ser acompanhadas

8 inovações em logística que devem ser acompanhadas

inovacao-logistica

A implementação de novas tecnologias está modernizando a logística. Ainda que seja incerto confirmar quais as tendências que farão sucesso nos próximos anos, é possível destacar as inovações em logística que vêm deixando esse setor cada vez mais disruptivo.

Tanto as empresas envolvidas no processo quanto os clientes exigem maior dinamismo, precisão e rapidez nos serviços. Ou seja, as inovações em logística são praticamente obrigatórias para a evolução em um mercado cada vez mais competitivo.

Quer conhecer todas essas tendências que estão revolucionando as operações logísticas mundo afora? Então, acompanhe este post!

 

1. Blockchain

Na logística de grandes marcas, o blockchain já é utilizado há algum tempo, o que reflete em grande crescimento. Isso, porque essa ferramenta dá mais segurança às companhias no compartilhamento de informações.

Nela, as informações do banco de dados estão distribuídas de forma descentralizada e criptografada, além de não ter um sistema regulador. Na prática, isso dá maior agilidade e integridade ao processo, além de evitar o vazamento de informações estratégicas.

2. Dispositivos autônomos

O investimento em máquinas autônomas é uma realidade cada vez mais frequente no mundo corporativo, havendo diversos dispositivos capazes de realizar ações sem a intervenção direta de uma pessoa. Já existem alguns modelos inteligentes que executam procedimentos importantes, como:

  • drones para entregas;
  • robôs de separação de mercadorias;
  • veículos autônomos.

Esses últimos chamam maior atenção, pois o objetivo principal é fazer com que esses carros sejam guiados de forma independente, por meio de várias funcionalidades úteis para que a operação funcione sem falhas. Para isso, ele deve coletar dados sobre o ambiente, a fim de decidir qual caminho seguir durante uma entrega, por exemplo.

Isso traz enormes benefícios para os serviços logísticos, como menor risco de acidentes envolvendo pessoas, redução de custos na contratação de motoristas e aumento da eficiência nas entregas.

3. Internet das coisas

A internet das coisas nada mais é do que a integração de diversos objetos e recursos eletrônicos por meio da conexão web. Com ela, é possível controlar ou dar ordens às máquinas do depósito via aplicativos de celular, por exemplo.

Essa evolução tecnológica surgiu para transformar a logística convencional em logística 4.0, a fim de tornar tudo mais fácil, intuitivo e disruptivo. 

Assim, praticamente todos os processos podem ser monitorados em tempo real, simplificando a gestão das etapas logísticas. Tudo isso, graças à “conversa” constante que as ferramentas (físicas e digitais) fazem entre si em prol de uma operação fluida e sem gargalos.

4. Big data

É um recurso criado para gerenciar o enorme volume de dados gerados diariamente por empresas e clientes. Reunir, classificar e analisar todas as informações é a função do big data. A empresa que investe nele consegue processar todos os registros e transformá-los em insights para melhorar a tomada de decisões, ficando à frente da concorrência.

No departamento logístico de um e-commerce, por exemplo, essa ferramenta pode encontrar padrões nas atividades e fazer análises preditivas com foco em reduzir gastos e oferecer uma experiência memorável ao cliente.

5. Pick to light (luzes indicadoras)

Já consolidada na Europa e nos Estados Unidos, a tecnologia pick to light está surgindo no Brasil como uma alternativa inteligente para o controle e automação de estoques. Essa ferramenta é ideal para empresas que querem aperfeiçoar a separação de itens para cargas fracionadas, a fim de eliminar erros.

Em suma, a tecnologia utiliza indicadores luminosos para localizar a mercadoria no galpão, além de indicar o volume necessário que deve ser separado para entrega. Após a coleta, o colaborador aciona um botão no sistema para finalizar o procedimento e registrar a saída dos referidos produtos no banco de dados da gestão de estoque.

Assim, os responsáveis pela separação dos pedidos terão mais agilidade e segurança, evitando que itens errados sejam enviados.

6. Remessa antecipada

É uma metodologia patenteada pela Amazon que consiste em fazer as primeiras movimentações das mercadorias antes mesmo de serem compradas. Isso é feito graças a algoritmos que são capazes de prever a intenção dos compradores.

Ao notar que existem grandes chances de o cliente fechar negócio, o produto é despachado para o centro de distribuição mais próximo do destino, a fim de agilizar a entrega e elevar a satisfação do comprador.

Isso demonstra que, com o uso de inovações em logística, como o big data e a internet das coisas, é possível captar dados valiosos sobre comportamento online e padrões de consumo.

7. Unificação dos depósitos

O surgimento das lojas virtuais é uma das possibilidades que a tecnologia (aliada à internet) permitiu nos últimos anos. Mas, quando o assunto é processo logístico, ainda existem muitos obstáculos a serem superados pelo gestor moderno.

Isso, porque não basta apenas lançar um site de vendas, é preciso investir em uma cadeia logística eficiente para que os pedidos sejam atendidos dentro do prazo, sem imprevistos ou problemas que possam comprometer sua reputação. Nesse caso, a grande solução que está trazendo inovação a esse mercado é a unificação de depósitos.

O objetivo dessa solução é diminuir erros comuns em varejos que têm armazéns separados, sendo um para a loja física e outro para o e-commerce. Ou seja, pode haver falta de um item em um depósito, enquanto a mercadoria está sobrando no outro.

Nesse contexto, unir esses depósitos virou uma tendência, pois elimina falhas na cadeia logística e reduz custos com armazenamento e transporte — sem contar a possibilidade de oferecer um serviço diferenciado ao consumidor, permitindo que ele compre no site e retire o produto diretamente no estabelecimento, por exemplo.

8. Sustentabilidade

O mercado logístico tem abraçado a causa ambiental para reduzir as emissões de carbono e amenizar os impactos nocivos à natureza. Além disso, o público está cada vez mais compromissado com marcas que promovem a sustentabilidade.

Negócios que investem nisso ganham grande destaque no mercado e adquirem um diferencial diante da concorrência. Para isso, diversas ações sustentáveis podem ser tomadas, como compartilhamento de fretes, manutenção regular dos veículos e otimização de rotas.

E então, o que achou das inovações em logística mencionadas neste artigo? Ficou interessado em colocar algumas delas em prática no processo logístico do seu e-commerce?

Vale destacar que alguns desses recursos já podem ser implementados, e outros ainda precisam de um tempo para se consolidar. O segredo está em acompanhar todas as novidades do setor para adaptar sua empresa a tempo de se antecipar às concorrentes.

Baixe o case: migração
Livraria Florence
Saiba como a Florence teve um crescimento 126% no tráfego orgânico e de 85% na receita desse canal após a mudança de plataforma!

Quero ler o e-book agora!