Início Vender em Marketplace E-commerce e marketplace: 5 passos para fazer essa integração

E-commerce e marketplace: 5 passos para fazer essa integração

integracao-ecommerce-e-marketplace

A relação entre e-commerce e marketplace vem se solidificando cada vez mais. Os motivos para isso são vários: aumento de visibilidade, crescimento nas vendas e maior diversidade de público.

Em um cenário de alta concorrência, que exige muitos esforços para colocar uma loja virtual em posição de destaque, o marketplace surge como uma opção interessante e capaz de alavancar os negócios.

Mas para que essa integração ocorra com sucesso, é preciso seguir algumas etapas e ter atenção a alguns fatores. Por isso, criamos um passo a passo que mostra o que você precisa fazer para integrar com sucesso e-commerce e marketplace. Vamos conhecê-lo?

1. Escolha o marketplace

A escolha do marketplace é a primeira etapa — e essa decisão vai influenciar bastante os resultados que o seu e-commerce terá. Alguns fatores precisam ser bem analisados nesse momento, como a reputação, a tecnologia utilizada e a qualidade do suporte.

Lembrando que o suporte, nesse caso, inclui o atendimento do marketplace tanto para o lojista como para o cliente final. Pouco adianta, por exemplo, contar com um bom suporte para a sua empresa, mas não ver essa experiência se repetir na jornada de compra do consumidor.

Por isso, o bom atendimento deve ser observado nesses dois lados. Ao buscar conhecer a expertise da equipe responsável, já será possível ter uma noção ampla de como eles trabalham essa questão.

Analisar esses fatores vai ajudar você a perceber o real custo-benefício da escolha. O marketplace precisa apresentar serviços que justifiquem o percentual cobrado, caso contrário, ele acabará se tornando um problema, mesmo com o aumento nas vendas.

2. Faça o cadastro de parceiro

Após a escolha do parceiro, é necessário realizar um cadastro que tem regras definidas pelos próprios marketplaces. Alguns aspectos podem variar de um para outro, mas há um padrão nesse procedimento. Saiba mais, nos próximos tópicos.

Envio das informações necessárias

Em nome de uma maior segurança jurídica, diversos marketplaces exigem o envio de alguns documentos. O ideal é você organizar com antecedência os que são comumente pedidos nessa etapa. Confira quais são eles:

  • comprovante do CNPJ;
  • comprovante da Inscrição Estadual;
  • declaração do regime de tributação;
  • alvará de funcionamento;
  • e-CNPJ;
  • contrato social.

Ter esses documentos em mãos possibilita agilizar o processo e evitar possíveis reprovações ou demoras no pedido devido ao não envio do conjunto solicitado.

Aprovação

Após o envio dos documentos, o pedido será avaliado. Os critérios de análise se baseiam em métodos definidos por cada marketplace — há os que optam pela aprovação automática e outros que fazem uma avaliação mais rigorosa após o cadastro.

Em relação à comissão, alguns marketplaces seguem à risca o percentual definido, enquanto outros fazem uma negociação, a qual pode ter impacto na aprovação. Ao final do processo, geralmente, eles entram em contato com o lojista para comunicá-lo sobre o resultado final.

Assinatura do contrato

Depois de obter a aprovação, é hora de assinar o contrato. Como a integração entre e-commerce e marketplace representa uma operação comercial, é importante que todos os termos sejam colocados no papel e validados por ambas as partes.

O contrato serve como elemento norteador das operações e garantia jurídica caso haja descumprimento de algum item, como ausência ou divergência no repasse das comissões, por exemplo.

3. Inicie a operação

O início da operação exige cuidado e paciência. Assim como toda a novidade, a integração entre e-commerce e marketplace exige constante observação e confiança na estratégia.

É claro que alguns pontos devem ser aprimorados a fim de melhorar a experiência oferecida aos clientes. Assim, definir e seguir um direcionamento é importante para conseguir obter bons resultados e tirar máximo proveito desse recurso.

Sobre os aspectos técnicos, normalmente, as operações ocorrem da seguinte forma:

  • envio dos dados referentes aos seus produtos;
  • inserção de itens;
  • divulgação para o público;
  • escolha e compra dos itens pelo consumidor;
  • envio ao lojista dos dados dos pedidos aprovados pelo marketplace;
  • preparo e entrega dos itens por parte do lojista;
  • confirmação de recebimento por parte do cliente;
  • repasse da comissão acertada entre e-commerce e marketplace.

4. Cadastre os produtos

O cadastro de produtos foi mencionado como uma das etapas da operação, mas ele tem tanta importância na integração entre e-commerce e marketplace que merece um tópico exclusivo para ele.

O cadastro é uma etapa relativamente simples, mas pode ser realizado de várias maneiras. Portanto, conhecê-las é fundamental — seja para se adaptar ao marketplace, seja para encontrar melhores formas de cadastrar os seus produtos. Veja, a seguir, quais são as 3 principais formas de cadastro utilizadas em um marketplace.

Cadastro por integração massiva

O cadastro massivo e automatizado de todo o seu catálogo é possível por meio da utilização de um ERP (Sistema de Gestão Empresarial) ou de uma plataforma de e-commerce que tenha essa função.

Essa é uma forma de cadastro que facilita muito a inserção e o gerenciamento dos itens, além de dar mais opções de compra para os consumidores.

Cadastro manual massivo

O cadastro em massa também pode ser feito de forma manual. Obviamente, é muito mais trabalhoso, porém, é uma etapa necessária em muitos casos.

Normalmente, usa-se uma planilha para guiar o cadastro e fazer a inserção dos itens. Essa opção é um meio termo para quem não conta com grandes recursos tecnológicos e também não quer ou não tem condições de cadastrar os produtos um por um.

Cadastro manual unitário

O cadastro manual de itens unitários é a forma mais trabalhosa, porém, é válida em alguns casos específicos. Um deles é quando o lojista quer testar o alcance do marketplace antes de disponibilizar todo o seu mix de produtos.

5. Tenha uma plataforma integrada

Uma plataforma que favorece a integração entre e-commerce e marketplace representa um recurso poderoso para otimizar as operações do seu negócio.

Mais do que facilitar o cadastro dos produtos, uma boa plataforma possibilita um melhor gerenciamento de várias das atividades que você precisa realizar, como controle de estoque, gestão de pedidos e análise de resultados.

Logo, esse é um investimento que apresenta um ótimo custo-benefício por proporcionar uma produtividade maior — essencial para quem deseja obter um alto volume de vendas e proporcionar uma experiência melhor ao consumidor.

Entender como ocorre a integração entre e-commerce e marketplace é o primeiro passo para começar a desenvolver suas estratégias. O passo seguinte é aproveitar os benefícios de uma boa plataforma e vender mais.

Para saber como potencializar ainda mais os seus resultados nesse mercado, confira o nosso artigo sobre como destacar o seu e-commerce no marketplace e aumentar as vendas!