Início Estratégias de Marketing O guia completo sobre marketing digital para e-commerce

O guia completo sobre marketing digital para e-commerce

marketing-digital-para-ecommerce

Hoje em dia, o consumidor está deixando de lado o receio de fazer compras online e tem aproveitado os diversos benefícios que o comércio virtual fornece, como descontos mais agressivos, frete gratuito e, é claro, o conforto de comprar em casa. Nesse contexto, o seu negócio já está investindo em marketing digital para e-commerce para pegar uma fatia desse mercado?

Essa estratégia é essencial, pois elimina o desperdício de recursos e evita a criação de abordagens ineficientes, ou seja, aquelas que não atingem o resultado almejado pela sua marca. Conhecer as novas metodologias de marketing para lojas online ajudam você a ganhar competitividade e vender mais.

Em razão disso, neste conteúdo reunimos tudo que você precisa saber sobre marketing digital para e-commerce, desde a sua definição até como implantá-lo no seu negócio. Boa leitura!

Mas, afinal o que é marketing digital?

O marketing digital (MD) pode ser entendido como um conjunto de ações possíveis que uma empresa pode fazer na web com o intuito de criar vínculos com os clientes, fazer novos negócios e trabalhar a identidade da sua marca.

Chamado também de e-marketing ou marketing online, essa técnica vem conquistando diversos segmentos, que já estão direcionando parcelas consideráveis de seus orçamentos de propaganda para a internet. Existem muitos incentivos que impulsionam as empresas a fazerem isso, sendo que os principais são: menor custo e maior retorno sobre o investimento.

Graças à transformação digital, pode-se dizer que grande parte das compras iniciam com uma pesquisa online. Somente essa realidade já é o bastante para garantir que o marketing digital veio para ficar e é indispensável para o plano de marketing de todo tipo de negócio — independentemente de ser virtual, offline ou híbrido.

A importância do Marketing digital para e-commerce

Em empreendimentos físicos ou online, vem surgindo uma demanda crescente no aumento de investimento no MD. Isso não é para menos, pois as pessoas estão conectadas a todo momento, logo, distanciar-se dessa realidade abre brechas para a concorrência levar o seu público embora.

Mas não apenas isso, existe um fator crucial que vem modificando o marketing totalmente — o relacionamento com o público-alvo.

No comércio eletrônico, elaborar ações de marketing digital é vital para sua existência e permanência no mercado. Afinal, ninguém vê alguém entregando panfletos, por exemplo, para acessar uma loja virtual.

Entretanto, essa abordagem não se resume a criar contas em redes sociais e fazer investimentos massivos em mídias pagas. Se o seu empreendimento quer notoriedade e expandir de modo sustentável, é necessário ter muita cautela no momento de planejar as ações.

As vantagens do marketing digital para e-commerce

Se a internet transformou o cotidiano da sociedade, o que dizer então das organizações? Para acompanhar as mudanças de hábitos, as empresas devem adotar novos canais, ferramentas e formatos. Por isso, cada vez mais e-commerces aproveitam as vantagens do marketing digital. Conheça as principais a seguir!

Garante uma presença online para ser encontrado

Hoje, ao estabelecer contato com alguma marca, muitos clientes já perguntam pelos seus canais online —site ou redes sociais. Eles estão interessados em conhecer a identidade da loja virtual, saber mais informações e sentir segurança antes de comprar.

Por isso, você deve ter uma presença online forte, em diversos canais, para que o público encontre o seu e-commerce com facilidade. Afinal, as pessoas estão sempre na rede para buscar informações e interagir.

Gera engajamento com o público

A web permite que, além de captar um comprador e elevar as chances de vendas, as empresas possam produzir relacionamentos de longo prazo com o público.

O grande destaque da comunicação digital é a sua flexibilidade de interações: as marcas podem produzir conteúdos atrativos e relevantes, que vão além das campanhas estritamente comerciais, e os clientes podem responder de diversas maneiras.

Em virtude dessa interatividade, os laços que se firmam entre a loja virtual e os consumidores são muito mais vigorosos. Em uma realidade na qual a disputa está cada vez mais acirrada, obter o engajamento dos usuários é fundamental para se manter em suas memórias.

Acompanha a jornada de compra

Em um passado recente, a jornada de compra dos clientes era um tanto simples. Primeiro, ele conferia uma publicidade no jornal impresso ou na TV, depois se direcionava ao varejo físico e tomava a decisão lá dentro.

Outras vezes o processo ocorria inteiramente no ponto de venda, analisando os produtos dispostos no local e contando com a orientação do vendedor para a conclusão da compra.

Hoje, porém, esse processo está bem menos previsível e linear — e muito mais virtual. O comprador pode verificar preços no PC, comparar modelos pelo smartphone ou tablet, ir até o shopping para testar a mercadoria, retornar para casa e fechar negócio pelo e-commerce.

Mesmo o comércio físico tem sido influenciado pela era do omnichannel: o consumidor espera ter uma experiência integrada nos diferentes canais de contato de uma loja.

Felizmente, o marketing digital permite monitorar esse trajeto. Por todos os canais pelos quais o público passa — redes sociais, e-commerce, aplicativo, etc. —, as marcas podem marcar presença com ofertas e conteúdos interessantes.

Dessa forma, fica mais simples dar suporte ao cliente, como solucionar todos os questionamentos ou objeções e instigar o seu desejo de compra.

Adquire a fidelização dos consumidores

Mesmo após finalizar uma venda, é fundamental que as empresas mantenham contato com o consumidor para incentivar uma recompra ou uma aprovação da marca para outros compradores — o boca a boca que se tornou digital e pode influenciar muitas pessoas ao mesmo tempo.

Essa ação de marketing de indicação, que faz parte da fidelização do público, costuma valer bem mais do que o processo de captação de novos clientes, que pode ser custoso e trabalhoso.

Na web, então, você tem inúmeros canais e recursos disponíveis para não perder contato com o comprador. Informações de blog, por exemplo, podem fomentar o relacionamento com a sua loja e aumentar o interesse em uma nova compra. Ainda, ofertas customizadas por e-mail podem recomendar mercadorias que complementam a última aquisição feita.

O essencial é compreender bem os perfis e as preferências de cada indivíduo para direcionar as ofertas certas. O cliente deve se sentir notado e prestigiado pela sua marca para voltar a comprar. Por isso, é muito importante oferecer vantagens para quem já compra na sua loja.

Segmenta o público-alvo

Diferentemente do que ocorre nos meios convencionais de contato, na rede, é possível falar com um público muito característico que demonstra interesse em um produto ou serviço específico.

Apesar de o potencial de alcance da web ser grandioso — e essa também é uma das vantagens do marketing digital —, o seu grande diferencial está na capacidade de segmentação dos clientes. Isso é possível já no primeiro contato do usuário com o e-commerce, por intermédio de um anúncio nas mídias sociais, por exemplo.

Isso permite que toda a experiência seja mais pertinente e gere uma sensação positiva no comprador, que vai receber somente materiais compatíveis ao seu perfil, predileções e comportamentos.

Mas como a internet proporciona tudo isso? Simples: é o próprio cliente quem concede dados sobre ele mesmo, seja por meio dos cookies do browser (que rastreiam os seus trajetos na web), seja por conta própria (ao preencher um cadastro).

Com isso, as empresas podem avaliar essas informações sobre o nicho de mercado para definir estratégias e direcioná-las corretamente para cada tipo de pessoa.

Principais modalidades de marketing digital

Existem diversos tipos de marketing digital para e-commerce em desenvolvimento. A seguir, vamos conhecer aqueles que estão sendo mais utilizados e que também podem gerar resultados para seu empreendimento.

Inbound Marketing

É um recurso baseado na atração de consumidores por meio de campanhas cativantes. Ele vai na contramão do marketing convencional — que interrompe o conteúdo no qual os usuários estão realmente interessados.

No Inbound Marketing, o material é relevante às necessidades e ao interesse da persona. Essa é a oferta que avança os leads (potenciais consumidores) no funil de vendas, até que eles decidam comprar. Quando essa decisão é tomada, a compra é feita naturalmente por quem já tem um relacionamento consolidado.

Marketing de Conteúdo

No interior do Inbound Marketing existe o Marketing de Conteúdo, que se baseia em produzir conteúdos interessantes na web para desenvolver autoridade e tornar a marca referência no segmento.

Com um roteiro de conteúdos para topo, meio e fundo de funil — atração, consideração e decisão, respectivamente —, é possível fornecer conhecimento e engajamento aos potenciais compradores, que amadurecem em sua jornada de compra e espontaneamente escolhem fechar negócio com a loja virtual, por enxergá-la como referência no assunto.

Marketing Viral

Muitos internautas gostam de compartilhar um conteúdo bem-humorado, inteligente ou emocionante — especialmente nas mídias sociais.

Beneficiando-se desse comportamento, o marketing viral surgiu justamente com o intuito de criar conteúdos tão atrativos que as pessoas queiram, voluntariamente, enviá-los para os seus colegas e amigos.

Nota: o conteúdo deve ser único e chamar a atenção, mas é necessário ter cautela para não prejudicar a reputação da marca com a publicação de temas repulsivos.

Estratégias de marketing digital para e-commerce

Dentro dessas tendências, existem algumas estratégias-chave para o sucesso do seu e-commerce. Confira!

SEO

Para quem está comercializando (ou pretende comercializar) produtos na internet, nada mais relevante do que ser um dos primeiros comércios eletrônicos a aparecer quando os internautas fazem pesquisas em sites de busca como o Google.

É algo semelhante a um shopping, no qual o seu estabelecimento fica no local onde transita a maioria das pessoas. Essa é uma prática que gera grandes taxas de conversão, pois a sua loja aparacerá para indivíduos que estão procurando o seu produto na rede, gerando diversos acessos de forma orgânica.

Funciona assim: um e-commerce seleciona palavras-chave (que o seu público normalmente busca online) e as insere em títulos e descrições das mercadorias. Em seguida, investe em um blog corporativo para postar conteúdos de qualidade.

Anúncios em Mídias Pagas

Para quem anseia gerar tráfico ágil e qualificado no site, investir em anúncios no Google Ads, Facebook e Instagram Ads, Twitter Ads e outras mídias pagas é uma excelente estratégia de marketing para loja virtual a curto prazo.

A plataforma de anúncios do Google é a ferramenta que possui maior alcance em público, além de uma variedade de divulgações. É possível elaborar campanhas para recursos de pesquisa (resultados de buscas), banners em outros sites (não concorrentes), campanhas de remarketing, vídeos no YouTube e muito mais.

As propagandas para Instagram e Facebook também contam com formatos diversificados de anúncios, que podem ser fotos únicas ou conjunto de imagens, slides, vídeos, entre outros. O custo dessas duas mídias varia em cada caso, mas é bastante flexível para se adaptar ao orçamento diário da maioria dos negócios.

Há ainda outras mídias para fazer divulgações, como Yahoo Ads, Waze e LinkedIn. Caso você não tenha uma equipe interna para elaborar as campanhas e acompanhar os seus resultados, é interessante contratar uma agência especializada que ajudará a minimizar erros e aumentar a eficiência dessas abordagens.

Certamente, as mídias pagas são uma das ações de marketing digital para e-commerce que devem marcar presença em seu planejamento.

E-mail Marketing

Com recursos de e-mail marketing, é possível estreitar o relacionamento com os consumidores. Ao disseminar uma campanha para eles, você tem a certeza de que todos receberão a mensagem, apenas com exceção dos e-mails que caem na caixa de spam.

Em razão disso, elaborar um título de e-mail atraente e conciso, que desperte interesse no usuário, e enviar um material relevante que o induza a comprar são ações indispensáveis para quem investe nesse canal.

Por isso, a melhor estratégia é contar com uma lista própria de endereços de e-mail, capturando-os por meio do blog, envolvendo a estratégia de marketing de conteúdo, e do site da loja.

Redes Sociais

Muitas lojas usam as redes sociais apenas para divulgar os seus produtos, mas também é importante compreender o seu público e as mídias sociais nas quais ele está mais presente. O Facebook é o canal mais utilizado pelos brasileiros, mas se os seus clientes estiverem mais no Twitter ou LinkedIn?

Aliado a esses meios de comunicação, também é possível integrar mais dois tipos de marketing:

  • Marketing de Indicação: fornece razões e vantagens que estimulam as pessoas a falarem bem da sua loja para as outras;
  • Sampling Marketing (Marketing de Amostragem): fornece amostras de produtos para que o cliente dê um feedback honesto por meio da rede social e/ou revisão no seu site.

Investir em anúncios para promover um produto ou a sua marca é interessante para quem tem uma empresa voltada para pessoa física, pois esses indivíduos estão concentrados nesses canais. No entanto, caso as suas mercadorias sejam voltadas para outras empresas, a melhor alternativa é testar o Marketing no LinkedIn.

Otimização de conversão

Otimizar uma página para conversão nada mais é do que mudar o layout, imagens, informações e outros fatores para que o cliente que está navegando no seu e-commerce se sinta seguro para efetuar a compra.

O retorno de uma prática bem-feita de otimização pode elevar as suas vendas ao melhorar a sua taxa de conversão. É extremamente importante estudar esse assunto mais a fundo para aplicar melhorias na sua página. Afinal, o público gosta de novidades.

Análise de dados

Além de ter todas as estratégias e metodologias aplicadas, é necessário acompanhar os resultados. Varejistas iniciantes normalmente começam com algumas métricas pontuais, como:

  • número de visitantes;
  • número de pessoas que demonstram interesse nos produtos;
  • número de vendas;
  • número de carrinhos abandonados;
  • volume de produtos retornados.

Com isso, fica mais fácil concentrar os esforços nas informações relevantes para o seu e-commerce, tornando possível aprofundar em cada um desses indicadores.

Importante! É essencial configurar o Google Analytics na sua plataforma de e-commerce e blog corporativo para monitorar os dados mencionados desde o início do seu funcionamento.

Como ter sucesso no e-commerce com marketing digital

Tem sido cada vez maior o número de pessoas que navegam e fazem compras via smartphones. Com base nisso, ter um site responsivo e com um layout intuitivo é o mínimo que a sua loja precisa disponibilizar. Essa é, sem dúvida, uma das estratégias de marketing digital para e-commerce fundamentais para a consolidação de uma marca.

O esquema é bem simples, você faz a postagem na rede social, direciona o cliente para consumir o conteúdo do seu blog e o encaminha para sua loja. Tudo na palma da mão, em tempo real e sem barreiras físicas. Esse é o “segredo” para o sucesso.

Vale mencionar que cada modalidade dessa contém um prazo de maturação distinto. Estratégias SEO para e-commerce e marketing de relacionamento têm um retorno de médio e longo prazos. Já os links patrocinados, por outro lado, têm retorno quase instantâneo, embora seja um investimento um pouco mais oneroso.

Contar com um plano de negócio detalhado para investir em marketing digital também não pode ficar de fora das suas ações para obter clientes engajados e bons resultados. A seguir, abordamos esse assunto em detalhes.

Como montar um plano de marketing digital para e-commerce

Após entender como funciona o marketing digital para e-commerce, vale a pena compreender também quais são os primeiros passos e estratégias para montar um plano rumo aos altos números de conversões. Confira, abaixo.

Elabore um planejamento

Para dar início ao seu plano, é necessário que você conheça a persona da sua empresa. Isso significa que é preciso criar uma representação do cliente ideal, elaborada com base em pesquisas e dados reais sobre como os seus consumidores se comportam, que demandas ele têm, do que gostam, além da sua faixa etária, nível de escolaridade, condições financeiras, etc.

Em seguida, é preciso mapear a jornada de compra, ou seja, determinar o percurso dessa persona desde a fase de aprendizado e descoberta até a hora em que ela opta comprar na sua loja.

Por fim, comece a planejar o seu funil de marketing e vendas. Defina os conteúdos que serão feitos para cada etapa e os canais de atendimento usados para estabelecer contato com a sua persona. Ao compilar esses dados, você já terá o bastante para formar o seu plano de marketing.

Crie uma oferta para captação de leads

Mais do que um internauta que pode ter chegado para conferir uma postagem de blog e nunca mais retornar, um lead é um indivíduo que deu um passo à frente no índice de interesse e ficou mais próximo de se tornar um cliente.

A sua intenção com o lead é, em primeiro lugar, obter o seu endereço de e-mail.  Esse é o principal (mas não o único) dado que você precisa coletar, afinal, é por intermédio dele que você estabelecerá contato para se relacionar com o possível comprador e fechar negócio.

Sendo assim, um dos primeiros passos do seu planejamento de marketing a ser posto em prática é fazer uma oferta para captar leads.

Pode ser um material rico, como um e-book sobre algum interesse da persona, ou até mesmo descontos e oferta de condições diferenciadas. Para obter essa recompensa, é pedido ao usuário que preencha seus dados em um formulário, como nome, e-mail, profissão, etc. É importante que essa lista não seja muito extensa para não espantar os leads.

Tenha uma estratégia de relacionamento

Depois de gerar uma cartela de leads, é hora de planejar as maneiras de se relacionar com eles. Afinal, essas pessoas podem chegar à sua loja em diversos estados de interesse e é muito comum que elas ainda não estejam preparadas para comprar.

Portanto, é importante criar uma estratégia de relacionamento, ou nutrição de leads, para direcioná-los até a fase decisória da compra.

Se você definiu bem a jornada de compra e venda, procure trabalhar com a automação de marketing. Assim, você consegue enviar conteúdos ou campanhas específicos para todos os seus futuros compradores, exatamente uma semana após eles baixarem o primeiro material, por exemplo. Com um fluxo automatizado, você não precisará fazer isso manualmente.

Outra maneira de se relacionar melhor com o público é encaminhando campanhas via e-mail. Mas cuidado para não enviar uma promoção anunciando “frete grátis para o Rio de Janeiro” àqueles que residem no estado de São Paulo, por exemplo.

Lembre-se de que o sucesso de uma oferta de e-mail tem o seu início com uma boa segmentação de quem vai recebê-la.

Prepare o seu time de vendas

No caso de segmentos de venda de produtos de ticket elevado ou de relações mais personalizadas, como o que acontece o B2B, pode ser necessária a presença de um time de vendas nesse processo,

Se for esse o caso, é importante preparar a sua equipe para atender esses leads e vender para eles. Os seus vendedores terão mais êxito se souberem quais conteúdos e materiais cada usuário acessou, o que ajuda a descobrir pelo que eles demonstram interesse. Ademais, essa abordagem mais pessoal permite criar uma empatia entre ambas as partes, melhorando a experiência de compra.

Esse guia reuniu as principais dicas de como aplicar uma estratégia consistente e bem-sucedida de marketing digital no e-commerce.

No entanto, o que muitos lojistas ignoram é que essas ações devem estar alinhadas com uma gestão eficiente do empreendimento, garantindo que os outros processos funcionem de forma harmônica e eficaz. De nada adianta conquistar mais visitantes para sua loja virtual e perder vendas porque o site é lento ou porque não houve um bom controle de estoque.

Assim, é fundamental investir em uma solução de e-commerce robusta que permita que você aproveite todo o potencial do seu negócio online e produza a melhor experiência possível para seu consumidor.

Para aprofundar mais sobre o assunto e saber como melhorar os resultados da sua empresa a partir de uma estratégia eficiente e integrada, confira o nosso artigo sobre as 4 características principais de uma plataforma de alta performance e como elas impactam positivamente as vendas.