Início Gestão Conheça a estratégia de recommerce e saiba como lucrar com essa tendência!

Conheça a estratégia de recommerce e saiba como lucrar com essa tendência!

recommerce

Você já ouviu falar em recommerce? Essa modalidade de comércio eletrônico traz antigas práticas de vendas de itens usados para o novo século, com confiabilidade, preços mais atraentes e um alcance muito maior de público.

Neste artigo, vamos apresentar o conceito e tirar todas as dúvidas que você pode ter sobre o assunto: o que é, suas vantagens e como começar a sua estratégia. Vamos começar!


O que é o recommerce?

O recommerce é caracterizado pela venda online de produtos de segunda mão. Também pode ser conhecido como e-commerce de revenda ou comércio eletrônico reverso. 

O varejo de produtos usados ganhou grande impulso nos últimos anos por iniciativa de portais como Mercado Livre e OLX.

Esses exemplos, inclusive, demonstram a pluralidade de estratégias possíveis para quem aposta no modelo. Hoje, um negócio de recommerce pode ser um marketplace voltado para pessoas físicas e/ou jurídicas, com mais ou menos intermediação entre negociações, pagamentos e logística.

Também pode ser mais tradicional, com a própria empresa fazendo a compra, a reformatação do produto e sua venda para o público final. Isso, claro, sem falar na possibilidade de focar em um nicho, abrindo uma gama incrível de oportunidades em um mercado ainda incipiente.

Independentemente de como se formata, esse modelo de varejo online é cada vez mais atraente para os consumidores, oferecendo produtos de alto padrão e qualidade por preços mais acessíveis.

Quais são as vantagens de apostar em um recommerce?

Ainda há muito espaço no mercado brasileiro para se investir nessa modalidade de e-commerce. Então, vamos apresentar os benefícios que você pode ter se decidir focá-la. Confira!

Alcance de um novo público

O comércio de produtos de segunda mão abre o mercado para um público muito mais abrangente do que um negócio pode ter atualmente. São pessoas que procuram produtos de qualidade, com valor agregado maior, mas que não podem pagar pelo preço de um novo.

É uma estratégia que amplia a base de clientes potenciais de um e-commerce tanto em volume como em perfis e hábitos de consumo.

Requalificação de produtos não comercializáveis

Os brechós de roupas são um exemplo antigo, mas muito interessante para o que significa criar oportunidades de vendas para produtos usados. Uma roupa que saiu de moda há 20 anos pode ser requalificada dentro de uma nova ideia, novas combinações, para se tornar atraente e cara novamente hoje em dia.

Da mesma forma, vários outros produtos podem ser adaptados, reformados e reposicionados no mercado para gerar lucro em um item que não seria mais comercializável. É um modelo mais barato que pode gerar grandes lucros.

Consumo mais constante de itens de status

Outra vantagem do recommerce é usar o status de grandes marcas para aumentar o seu alcance de público. Com a venda de produtos de segunda mão, é possível oferecer a mesma aura de exclusividade com itens confiáveis e em bom estado, mesmo que saiam a uma fração do preço original. O recommerce de celular, especificamente, se baseia muito nessa ideia.

Diversificação de lucros

Muitas empresas apostam no recommerce como uma estratégia complementar ao seu e-commerce — às vezes, até criando uma marca adjacente para isso.

O retorno, nesse caso, ocorre pelo aumento de oferta de produtos em novas categorias para outros públicos. É uma forma certeira de aumentar as vendas e faturar mais, inclusive alternando períodos de ofertas para vender o ano todo.

Existe algum exemplo de recommerce de sucesso?

Algumas empresas têm demonstrando o potencial da modalidade ao focar nichos e um bom serviço. Um grande exemplo disso é a Mais Barato Store, que atua no segmento de recommerce de celular.

Sua estratégia consiste na comercialização de aparelhos com pequenos defeitos restaurados, que são colocados para revenda com um preço mais acessível do que modelos novos.

A empresa usou, para isso, a plataforma Tray Corp utilizada para e-commerces, já que oferece recursos importantes para esse modelo de negócios, como fácil integração com os principais marketplaces do país.

Como começar a sua estratégia de recommerce?

Não existe fórmula para começar, e esse processo nem sempre é fácil, mas dá para montar o seu recommerce de sucesso com muito planejamento e conhecimento das particularidades do modelo. Confira algumas dicas!

Amplie sua estrutura de e-commerce

Como no exemplo da Mais Barato Store, você pode usar uma plataforma de e-commerce robusta para montar sua loja de revenda online. Mas é bom lembrar que essa estrutura vai precisar ser ampliada em recursos e talvez até pessoal.

Planeje-se para uma logística diferente

Se você for apostar na venda própria de produtos de segunda mão (com ou sem marketplace), deve se planejar para uma logística diferenciada: por um lado, para atestar a qualidade dos produtos vendidos; por outro, para criar uma estratégia específica de trocas e devoluções, já que nem sempre itens similares serão equivalentes, ainda que sejam de um mesmo modelo.  

Foque a sinceridade e o excesso de informações

O público do recommerce sabe que está pagando mais barato por um produto que já foi utilizado de alguma forma. Por isso, evite mentir e passar a imagem de que são itens novos.

Para a decisão de compra nessa modalidade, a informação é fundamental. Até mesmo os pequenos defeitos, como riscos e desgastes, devem ser apontados na sua página. Quanto mais transparente o processo de revenda, mais satisfação você vai garantir ao seu cliente.

Crie uma campanha de marketing adequada

Essa mesma sinceridade deve fazer parte da sua campanha de marketing, que deve ser separada do e-commerce tradicional, caso você vá manter os dois modos de venda em paralelo.

O público de produtos usados varia muito em desejos e expectativas, quando comparado a quem busca sempre o modelo mais novo. Portanto, a sua linguagem e a forma de abordar o consumidor serão únicas.

Mas não há segredo: seguir essas dicas para começar seu planejamento e fazer uma repaginação da sua própria estratégia de e-commerce é suficiente para alcançar todas as vantagens que a revenda online pode trazer para seu negócio.

Se a ideia lhe interessou, para começar seu recommerce, basta encontrar seu nicho e sua forma de apresentar o produto aos consumidores e apostar em uma plataforma completa de e-commerce!

Baixe o case: migração
Livraria Florence
Saiba como a Florence teve um crescimento 126% no tráfego orgânico e de 85% na receita desse canal após a mudança de plataforma!

Quero ler o e-book agora!