Início SEO Redirecionamento 301 e 302: qual é o papel na migração de e-commerce?

Redirecionamento 301 e 302: qual é o papel na migração de e-commerce?

redirecionamento-301-302-ecommerce

O redirecionamento 301 (e também o 302) é muito importante para a migração de um e-commerce. A explicação para isso é que ambos permitem dar maior segurança ao processo, além de garantir a qualidade da experiência proporcionada.

Podemos definir o redirecionamento 301 como uma maneira de informar aos usuários e mecanismos de busca que uma determinada URL foi alterada. Nesse caso, a mudança deve ser permanente e não ocorrerá o retorno para a URL antiga.

Já o redirecionamento 302 é usado quando a mudança é temporária, mais precisamente quando um link é desativado por um motivo específico e voltará à ativa posteriormente. Durante esse período, o uso desse redirecionamento permitirá informar que o conteúdo passa a ser apresentado em outra URL por tempo limitado.

Para entender melhor como os redirecionamentos 301 e 302 influenciam no gerenciamento de um e-commerce, você precisa aprofundar-se nos conceitos que apresentaremos a seguir. Portanto, continue a leitura e confira quais são eles!

 

Redirecionamento 301 e 302 x SEO

Antes de entrar em detalhes sobre a relação entre os redirecionamentos citados e o SEO (Search Engine Optimization), é importante mencionar que as mudanças em um e-commerce são normais. Dentre elas, podemos citar as de categorias de produtos, criação de links temporários e, até mesmo, as mais complexas, como a migração para uma nova plataforma.

Em relação ao SEO, tanto o redirecionamento 301 quanto o 302 ajudam a manter a autoridade obtida em determinada URL. Caso esse recurso não seja utilizado, haverá queda no ranqueamento, porque os algoritmos do Google entenderão tratar-se de um conteúdo totalmente novo e, com isso, não relacionar com a página antiga.

Não o utilizar acaba colocando toda a estratégia em risco. Usar redirecionamento evita perdas? Não completamente, mas ele é um excelente aliado para minimizá-las, o que é essencial para garantir o bom andamento de uma estratégia que foi construída em longo prazo.

Em termos de estratégia de SEO, o redirecionamento 302 tem a sua importância, afinal, haverá um retorno para a URL original, que é aquela de onde se originou toda a interação. O uso dele indica aos motores de busca que esse redirecionamento é provisório e a autoridade alcançada deve ser mantida.

A utilização precisa ser feita com prazo limitado, não só por ser uma característica específica desse redirecionamento, mas também para minimizar os prejuízos em relação ao SEO. Afinal, quanto mais tempo o link original ficar desativado, maiores serão as chances de ele perder ranqueamento.

No redirecionamento 302, a index sai das páginas de pesquisas do Google, mas não do seu banco de dados. Portanto, uma demora considerável pode influenciar também nessa manutenção, visto que é uma decisão que cabe somente ao buscador.

Diante de tudo isso, o uso do redirecionamento 302 deve ser feito com o máximo de cuidado e a partir de um planejamento adequado. Nos critérios desse planejamento, devem constar informações como: tempo estimado de desativação, motivo da criação de um novo link, conhecimento técnico de quem fará o redirecionamento e número total de URLs que serão direcionadas em um mesmo período.

Exemplos de uso do redirecionamento 301

Além de saber o que é o redirecionamento 301 e suas diferenças do direcionamento 302, é importante conhecer quais são as principais situações em que o seu uso é indicado. Vamos a elas!

Migração de plataformas

Essa é a forma mais popular em que o redirecionamento 301 é utilizado. Quando há a decisão de migrar de plataforma, todos as URLs devem ser redirecionadas separadamente. Essa é a única forma de garantir que a autoridade conquistada nessas páginas seja mantida.

Exclusão e alteração de URL

A exclusão de uma URL acontece quando um link deixa de existir de forma definitiva. Nesse cenário, usar o redirecionamento 301 é indicado para que ele possa fazer a devida correspondência para a nova página à qual o conteúdo será destinado.

A alteração de uma URL acontece quando se cria uma versão nova de determinada página da loja virtual. Em momentos como esse, o redirecionamento 301 ajuda a fazer essa migração de forma eficiente. É importante dizer que ele deve ser feito mesmo que o conteúdo seja igual e haja apenas alteração na URL.

Mudança de domínio

Quando um domínio é alterado, o uso do redirecionamento 301 faz-se necessário para garantir o correto encaminhamento dos usuários para a nova página. Assim, quando ele acessar o link original (por exemplo: wwww.link1.com.br), será direcionado para o domínio atual (www.link2.com.br).

Inserção ou retirada do www

O 301 serve também para redirecionar uma versão com www para uma versão sem o www do mesmo site. Ao utilizá-lo, evita-se a duplicação do conteúdo. O mesmo vale para o uso do http ou https.

Exemplos de uso do redirecionamento 302

Assim como no redirecionamento 301, é de suma importância conhecer exemplos de uso do direcionamento 302. Veja quais eles!

Manutenção temporária

A manutenção temporária faz parte do cotidiano de um e-commerce, seja para resolver problemas técnicos seja para alterar uma página de produto, por exemplo. É altamente recomendado utilizar o direcionamento 302 para encaminhar o cliente para uma página provisória.

Essa medida, além de melhorar a experiência, permite manter o fluxo de vendas, o que não seria possível sem o uso desse redirecionamento — inclusive acarretaria a retirada do site do ar.

Promoções por tempo limitado

Promoções rápidas também são situações típicas para usar o redirecionamento 302. Períodos de curta duração, como Natal e Black Friday, são ótimos momentos para criar promoções e utilizar esse direcionamento para encaminhar os clientes a URLs com preços promocionais.

É muito melhor fazer isso do que criar novas URLs, tanto pelo engajamento como pela facilidade de voltar ao preço original depois de o período acabar.

Riscos de não usar os redirecionamentos

Conforme vimos, as vantagens de usar os redirecionamentos 301 e 302 são várias. Explorando-as, é possível ver que elas abordam junto os riscos da não utilização desses recursos. Podemos citar alguns, como:

  • queda no ranqueamento orgânico;
  • diminuição no número de vendas;
  • incidência grande de links quebrados;
  • dificuldade de navegação;
  • falta de profissionalismo;
  • arquitetura do site desorganizada.

Considerando os impactos negativos dos riscos e os positivos trazidos pelas vantagens, fica claro o quão relevante é usar o redirecionamento 301 e o 302 para gerenciar as mudanças rotineiras no e-commerce. Caso você não se sinta seguro com isso, é sempre importante contar com ajuda especializada para esse fim.

Baixe o case: migração
Livraria Florence
Saiba como a Florence teve um crescimento 126% no tráfego orgânico e de 85% na receita desse canal após a mudança de plataforma!

Quero ler o e-book agora!