Início Mídias pagas Saiba como e por que investir em anúncios para e-commerce

Saiba como e por que investir em anúncios para e-commerce

saiba-como-e-por-que-investir-em-anuncios-para-e-commerce

Investir em publicidade em mídias pagas já se tornou uma importante estratégia para o marketing digital. Essa tendência é ainda mais relevante para lojas virtuais, que dependem de uma boa presença online e da atração de tráfego de usuários interessados em consumir os seus produtos. Dessa forma, apostar em anúncios para e-commerce não é só uma excelente tática, como uma ação que se tornou essencial.

Se você quer saber mais sobre as principais vantagens dessa estratégia, como funciona a definição de precificação, os principais formatos de anúncios e as dicas de como obter sucesso nessa empreitada, continue a leitura!

Principais Vantagens

Em 2017, um estudo feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostrou que comprar pela internet tornou-se um hábito do brasileiro e 89% dos internautas realizaram ao menos uma compra no ano.

Diante desse panorama de oportunidade de vendas e do atingimento em massa de um grande número de pessoas, vários resultados podem ser obtidos com a publicidade online, como:

  • aumento na geração de leads;
  • maior exposição do conteúdo relacionado a sua empresa;
  • maior tráfego e visibilidade para sua marca;
  • investimento flexível;
  • resultado rápido;
  • análises mais eficientes;
  • possibilidade de viralização;
  • maiores possibilidades de segmentação.

Formatos de lances para campanhas

Aqui começamos um assunto fundamental para quem deseja investir em mídias pagas: a precificação. Entender como funcionam os formatos de lances para publicidade online é fundamental para se obter bons resultados. Os três tipos de cobranças mais comuns são:

CPC – Custo por Clique

Como ocorre a cobrança: é feita por clique na publicidade. É um orçamento fácil de administrar estrategicamente e mede especificamente quais usuários chegaram ao seu site.

Estratégia: é ótimo para quem quer mais tráfego.

Cálculo: Para calcular o custo total de CPC, é fácil:

Custo total = CPC x número de cliques

CPM – Custo por Mil Impressões

Como ocorre a cobrança: a cada mil impressões, ou seja, número de vezes que sua mensagem for exibida, terá um custo. Esse é o tipo de precificação usada para grandes portais, blogs, canais de notícias e tudo que tem grande tráfego (para a propaganda ser visualizada a cada 1000 pessoas).

Estratégia: O CPM acaba sendo, algumas vezes, um pouco mais caro em comparação ao CPC, porém é uma tática muito positiva para branding e exposição da marca. Use essa opção conhecendo bem o público, pois quanto mais rápido o anúncio chegar nas 1000 visualizações, mais acelerado será o gasto dos recursos da sua campanha.

Cálculo: O cálculo do valor que você gastará no total é:

Custo Total = CPM x (Visualizações/1000)

CPA – Custo por Aquisição

Como ocorre a cobrança: o anunciante só paga pela conversão, que é quando o visitante realiza a ação determinada como objetivo daquele anúncio. No caso do e-commerce, por exemplo, é quando acontece a venda na loja. Dos três, o CPA é o que pode acabar tendo um custo mais elevado, pois a campanha só acaba quando o resultado final é alcançado.

Estratégia: os objetivos são vários, desde vendas de produtos até conquista de leads, visualização de vídeos, inscrição em formulários, etc. É importante lembrar que se você diminuir o valor do CPA nessa modalidade o seu anúncio poderá perder posições. Então, caso sua campanha não esteja obtendo bons resultados, suas opções são definir um CPA personalizado ou mudar seu tipo de lance (CPC ou CPM).

Existem condições para seu uso dependendo da plataforma, então fique atento:

Ao ativar e configurar o Otimizador de Conversões no Google Ads, você pode usar três tipos de lance de CPA:

  • o lance de CPA desejado: valor que você gostaria de pagar;
  • o lance máximo de CPA: valor máximo por cada conversão;
  • ou por comissão, x% sobre a venda.

A vantagem é que o Google ajusta sua campanha automaticamente de acordo com o histórico de conversões e você não precisa configurar lances para cada palavra.

Cálculo: Para calcular o CPA, basta usar a fórmula

CPA= total investido / número de conversões

Dica extra

Caso seja o início da sua campanha e você tenha escolhido o Custo por Clique, uma opção vantajosa é deixar o lance como automático para que a própria plataforma regule e encontre a melhor precificação para você. Porém, esse processo pode levar cerca de uma semana para ser feito.

Outra opção é iniciar campanhas com um CPC elevado e ir diminuindo-o de acordo com seu desempenho. O inverso também é válido: começar com um CPC baixo e ir aumentando-o gradativamente, levando em conta o orçamento previsto para aquela campanha e o tempo de exposição do anúncio.

Formatos de anúncios para seu e-commerce

No Brasil, o investimento em publicidade online cresceu 26% em 2016, segundo o estudo Digital AdSpend 2017. Existem vários tipos de propagandas online que você pode utilizar na estratégia de marketing da sua empresa. Alguns deles são:

Anúncios do Google Ads

O que são: são os anúncios desse motor de busca que aparecem na parte de destaque da página de pesquisa, deixando sites específicos em evidência.

Como funcionam: eles funcionam por meio de leilões de palavras-chave e são criados pelo Google Ads (antigo AdWords) de acordo com o público e as diretrizes de segmentação que você escolher.

Qual o tipo de cobrança: funcionam por meio de CPC (custo por clique), CPM (custo por mil impressões), CPA (custo por aquisição) e CPV (custo por visualização).

Estratégia: muito usado por empresas de diversos ramos, a plataforma funciona com os conteúdos produzidos pelos anunciantes sendo exibidos na Rede de Pesquisa, na Rede de Display ou nas duas. Não obstante, o principal benefício é se destacar da concorrência e aparecer na primeira página de resultados de uma busca  ou na infinidade de sites que estão afiliados a ele pelo AdSense.

Rede de Pesquisa

O que são: são os resultados que aparecem direto na página de busca do Google, a SERP (Search Engine Results Page), tanto no início quanto no fim. Esses famosos links patrocinados têm formatos menos padronizados e permitem extensões.

Como funcionam: segundo o próprio Google, a ordem em que o anúncio é exibido em uma página acontece por meio de um leilão, que gera uma classificação baseada em: valor do lance, qualidade do anúncio no momento do leilão (incluindo a taxa de cliques esperada, a relevância e a experiência na página de destino), limites mínimos de classificação, contexto da pesquisa (localização, dispositivo, horário, termos de pesquisa, outros anúncios e resultados de pesquisa, além de outros sinais e atributos dos usuários) e no impacto esperado das extensões e de outros formatos de anúncio.

Estratégia: é importante colocar no título a palavra-chave mais relevante para o seu público durante uma busca, pois esses termos costumam ficar em negrito e se destacar para o usuário que os procura.

anúncios rede de pesquisa Google

Rede de Display

O que é: é anúncio gráfico que pode ser divulgado nas páginas afiliadas ao Google, além de sites como Youtube, Gmail e Blogger.

Como funcionam: são permitidas campanhas gerais, de remarketing e até audiovisuais, além de existir uma segmentação de exibição com base no histórico de navegação do usuário.

Estratégia: esses anúncios são excelentes formas visuais de se fazer propaganda, principalmente em datas promocionais. Para isso, é necessário usar imagens de boa qualidade, com equilíbrio no layout, além de um CTA (call-to-action) impactante.

Campanhas de Remarketing

O que são: anúncios que resgatam clientes para sua loja após visita inicial ao site da empresa.

Como funcionam: acontecem pelo Google Ads e funcionam por meio de uma tag que você pode adicionar ao portal da sua empresa, além de definir listas de remarketing para cada página visitada.

Estratégia: estima-se que 95% dos usuários que entram em um site saem em seguida sem fazer nenhum tipo de interação. Mas isso não significa que você perdeu definitivamente esses possíveis clientes.

Com campanhas de anúncios de remarketing — oferecendo um cupom de desconto ou frete grátis, por exemplo — você pode convencer parte desse tráfego que havia se interessado anteriormente pelo seu produto, mas que seria ‘desperdiçado’, a retornar ao seu site e finalmente realizar a compra.

Google Shopping

O que é: é um serviço que permite a oferta de produtos em sites de compras online e os consumidores podem comparar os preços entre os diferentes fornecedores.

Como funciona: basta estar cadastrado no Google Merchant Center, ter um arquivo XML da loja e vincular o sistema ao Google Ads para poder criar campanhas. Diversas plataformas, incluindo a Tray Corp,  já possuem o XML do Google e a integração com a API Google Merchant Center, permitindo que você faça isso diretamente no painel de sua loja.

Estratégia: cadastrar seus produtos aqui pode ser uma estratégia relevante para destacar-se da concorrência, caso você tenha preços competitivos ou produtos bastante específicos, que outros e-commerces não oferecem.

Google Shopping

Social Ads

O que é: como o próprio nome diz, trata-se da publicidades nas redes sociais. Aqui entram: Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, Waze e outros. Escolha estar nos canais em que seus clientes se encontram para poder destinar melhor seus recursos. O relacionamento pode ser bem trabalhado aqui, assim como as vendas.

Facebook

Como funciona: o Facebook Ads é uma das formas mais usadas por quem tem lojas virtuais, exibindo sua propaganda para um público segmentado.

Como é feita a cobrança: a monetização do Facebook funciona por CPC, CPM e ele ainda permite uma cobrança por engajamento ou por aquisição, variando de acordo com o tipo de campanha escolhida.

Estratégia: estar no Facebook é importante pois ele é a rede mais usada pelos brasileiros. Permite que você aumente a geração de leads e oportunidades de negócio com uma maior exposição da sua marca, tendo um custo menor que uma campanha em grandes veículos. Anúncios para e-commerce nesse canal costumam ter alcance bastante positivo.

Dica extra

As principais dicas na hora de criar a publicidade para o Facebook é manter CTAs claros, de acordo com os objetivos de marketing escolhidos nas campanhas, e valorizar imagens e vídeos, tornando-as atrativas e interessantes para que atraiam a atenção dos usuários em meio a competição de informações no feed de notícias.

O Facebook permite um local de teste, o Creative Hub, no qual você pode ver como ficaria sua publicidade e se inspirar em outras propagandas existentes. Além de criar seus mockups, você pode gerar uma URL do anúncio para mostrar ao seu time de marketing antes de que seja publicado.

Instagram

O que é: é a segunda rede social mais usada no país e muito indicada para e-commerces de moda, por exemplo, oferecendo grande potencial de engajamento e conversão, já que a ferramenta permite etiquetar preços de produtos nas fotos.

Como funciona: funciona também pelo Facebook Business Manager. Basta configurar o anúncio na ferramenta e vincular sua conta do Instagram para poder criar suas campanhas no Power Editor.

Como é feita a cobrança: a cobrança ocorre por CPM e CPC.

Estratégia: você pode escolher dentro da versão Business uma série de objetivos de marketing para sua campanha. Ela pode ser direcionada tanto para ser exibida no feed do Instagram quanto no Instagram Stories. Entre os objetivos de marketing que podem ser escolhidos estão alcance, visualizações do vídeo ou conversões de acordo com as suas expectativas, e assim criar suas campanhas com base nelas.

YouTube

Como funciona: mais uma vez os anúncios pagos são integrados ao Google Ads e existem diversas possibilidades de exibi-los em diferentes canais. Os algoritmos do YouTube ligam os vídeos dos criadores de conteúdo às publicidades pagas, levando em consideração os interesses de ambos.

Mas é importante destacar que cada canal pode personalizar os tipos de anúncios que aceita exibir e até bloquear alguns tópicos que não deseja. As opções de criação de conteúdo passam por manuais de uso de produtos a documentários e vídeos promocionais das marcas, sendo uma rede bastante versátil.

Como é feita a cobrança: além do CPM, CPA e CPC, o YouTube conta ainda com precificação por CPV (custo por visualização), usada somente para campanhas em formato de vídeo.

Estratégia: existem dois tipos principais de anúncios: o Non-skippable e o TrueView. O primeiro aparece no início do vídeo, dura até 15 segundos e não pode ser ignorado pelo usuário — enquanto o segundo tipo pode. TrueView é uma modalidade interessante para publicidade de lojas, por ser flexível e proporcionar melhor experiência para o usuário, uma vez que eles receberão as recomendações de acordo com suas as preferências pessoais.

Dica extra

Diversos segmentos podem lucrar com essa estratégia, como os de Música, Comida, Eletrodomésticos e eletrônicos, como é feito pela empresa de máquinas fotográficas Go Pro.

anúncio youtube

Native Ads

O que são: são as propagandas nativas, ou seja, que fazem parte da estrutura de um site ou de seu conteúdo, como grandes sites de notícias.

Diferenciais: as vantagens de investir nessa opção são o grande alcance desses canais e a autoridade que eles têm. Entretanto, os valores cobrados nessa modalidade normalmente são mais altos do que as outras opções.

4 formas de otimizar suas campanhas

Agora que você já conhece os principais tipos de anúncio para e-commerce, como eles funcionam e as vantagens de cada um, chegou a hora de saber como otimizar suas campanhas para obter os melhores resultados. Para isso, é interessante seguir algumas dicas:

1. Evite pausar campanhas com conversão

Mesmo existindo algumas exceções, antes de pensar em pausar sua campanha, busque analisar todos os fatores para descobrir qual está atrapalhando sua performance.

Exemplo: Suponhamos que você perceba que seu ROI está abaixo do esperado, mas a campanha está trazendo conversões. Nesse caso, o ideal é verificar quais anúncios especificamente estão derrubando seu ROI e pausar apenas os que impactam de maneira negativa esse resultado. Busque analisar no outro dia se a mudança foi positiva. Além disso, analise seus bons resultados e realize ajustes de orçamento e CPC para otimizar os seus efeitos.

2. Adeque sua segmentação

Existem diversas opções de segmentação que você pode utilizar para atingir o seu público-alvo de maneira mais eficaz. Em geral, as mais comuns são por região geográfica, gênero, idade, status parental, tipo de dispositivo, tópicos e canais.

Exemplo: Suponhamos novamente que sua campanha está com um ROI abaixo do esperado. Uma dica é analisar seus grupos de anúncios buscando quais possuem o custo mais alto com uma baixa taxa de conversão. Faça alterações de segmentação neles para melhorar seu ROI e não se esqueça de testar os efeitos dessas mudanças nos dias subsequentes. Outra dica é criar campanhas separadas para regiões diferentes, pois posteriormente isso facilitará na precificação, análise e otimização das mesmas.

3. Evite os finais de semana

Normalmente, o final de semana é o período no qual os anúncios para e-commerce obtêm os piores resultados. Logo, o indicado é ajustar sua publicidade online para redução dos lances nesses dias e horários.

Claro que cada caso é um caso. Logo, com os relatórios de suas campanhas você pode realizar ajustes voltados para os dias e horários com melhores retornos. Esses dados estão disponíveis na aba “Dimensões” do Google Ads.

4. Força total na reta final

Você conhece a função de entrega acelerada do Google Ads para e-commerce?

A gente explica! Em vez do orçamento diário ser distribuído uniformemente, ele é gasto durante as primeiras horas do dia.

É uma ótima opção para campanhas que estão indo muito bem, estando em sua reta final e ainda têm orçamento para ser gasto. Suas propagandas serão exibidas o mais rápido possível até acabar o seu investimento.

É uma boa opção também em finais de promoções online, quando você deseja aumentar o volume de vendas e precisa que mais pessoas vejam sua publicidade. Mas claro, nem sempre essa opção significa mais conversões, então você deve continuar acompanhando seus relatórios de perto para obter os melhores resultados.

Seguindo essas dicas, será possível otimizar os resultados dos anúncios em mídias pagas da sua loja virtual.

Para saber mais formas de alavancar as vendas, confira o nosso guia completo de marketing digital para e-commerce!