Início Estratégias de Marketing Social commerce: entenda o que é e porque usar essa estratégia

Social commerce: entenda o que é e porque usar essa estratégia

social-commerce

Os hábitos do consumidor mudaram e isso não é novidade. O que vem se reinventando continuamente são as estratégias de negócio para atender esse novo público e se manter relevante no mercado. O social commerce é umas delas, tendo se tornado uma importante maneira de construir relacionamentos relevantes com seus clientes.

De acordo com levantamento realizado pela Salesforce, 80% dos entrevistados afirmaram que a experiência de compra é tão importante quanto os produtos e serviços oferecidos pela empresa. Nesse mesmo estudo, 72% disseram que costumam compartilhar experiências boas que tiveram em uma compra e 62%, experiências ruins. Ainda, 67% apontaram que estão dispostos a pagar mais para ter uma experiência excelente.

A partir da análise desses e de outros dados, chega-se à conclusão de que aplicar o social commerce se tornou condição fundamental para as empresas que desejam melhorar suas vendas e o relacionamento com o público. Continue a leitura e entenda mais sobre essa tática.

 

Como funciona o social commerce?

Digamos que você precisa comprar um produto novo e não conhece muito a respeito dele. Nesse caso, utiliza a Internet para buscar informações? Pesquisa referências e dicas de outras pessoas que já o adquiriram? Fica atento à classificação da loja, atribuída por outros usuários? Isso é social commerce.

Em outras palavras, social commerce é o ato de integrar a loja virtual às mídias sociais, permitindo que o usuário interaja com o conteúdo oferecido, classifique a qualidade dos produtos e do atendimento. Nele a página também fica disponível para comentários, compartilhamentos e outros recursos próprios das redes sociais.

Quando seu produto é compartilhado, sua empresa ganha visibilidade e divulgação gratuitas. Além dessa interação entre pessoas, a integração permite que você venda dentro das próprias redes sociais, da mesma forma que acontece com a nova funcionalidade para lojas virtuais no Instagram, por exemplo.

É interessante buscar, também, a interação do e-commerce com outras plataformas sociais, como Instagram, Pinterest, Twitter e até fóruns de discussão ou sites de reclamação — conteúdos muito acessados antes de os consumidores finalizarem suas compras.

Quais são os diferenciais da estratégia?

O social commerce imprime credibilidade e boa reputação para empresa. Enquanto em outras estratégias você precisaria trabalhar a divulgação em massa e investir em peças publicitárias caras, o efeito viral das redes facilita e diminui o custo com essas ações.

Por isso, cabe destacar que o comércio social vai muito além de vender mais por meio da opinião dos usuários. Esse processo facilita a organização para conhecer a jornada de compra de seus consumidores, favorece a expansão da marca e estreita o relacionamento com o público.

Muitas corporações já obtiveram sucesso com o social commerce. Se grandes nomes o adotaram é porque o conceito não é mais uma tendência, mas condição obrigatória para o marketing digital das empresas. Veja algumas marcas que adotaram essa estratégia.

Magazine Luiza

Com estratégias de varejo ousadas, a grande rede tem caixa de recomendações e de opiniões disponíveis no site. Também atende os clientes nas redes sociais por meio de um chatbot inteligente que recebeu até nome próprio: a Lu.

Outro grande destaque foi a ação realizada na campanha do Dia dos Namorados de 2017. A empresa cadastrou a sua famosa personagem no Tinder — conhecido app de relacionamentos amorosos —, o que resultou em mais de 150 mil matches no site de relacionamentos e 2000% de crescimento nas vendas do período.

IBM

A gigante mundial da tecnologia conseguiu elevar em 400% suas vendas ao adotar a estratégia de social selling dentro do business intelligence, com destaque para suas ações no LinkedIn e no Twitter. A marca busca alinhar seu conteúdo nas redes com o que é propagado pelo time de vendas, o que garante ainda mais seu sucesso. 

Esses são apenas alguns dos casos mais conhecidos. A verdade é que o social selling já é uma condição obrigatória para os grandes varejistas e marcas com forte presença online.

Como adotar o social commerce no negócio?

Para iniciar seu trabalho com social selling, tenha em mente que sua empresa precisa passar por um processo de mudança cultural para que as equipes de atendimento e vendas alinhem suas ações com o marketing.

Veja outros pontos que você precisa considerar ao adotar o comércio social.

Remodele o seu site

Adicione plugins para integração social na sua página, permitindo o compartilhamento de conteúdos, a classificação dos produtos oferecidos e abrindo o campo de comentários para receber feedbacks dos seus clientes. Algumas empresas oferecem soluções sob medida para atender a esses requisitos, agilizando o processo.

Estruture sua empresa nas redes sociais

Crie um canal de comunicação em todas as mídias possíveis em que seu público-alvo está mais presente. FacebookInstagram são as mais comuns, mas você pode ter bom retorno em qualquer uma delas, dependendo da qualidade da sua estratégia.

Fique atento à reputação da sua marca 

Monitore o que é dito sobre a empresa nas mídias sociais, sites de comparação de preço e de avaliação de reputação das marcas. Cada reclamação deve ser respondida e tratada com cautela, pois essas publicações permanecem nos sites por muitos anos e podem afetar a decisão de futuros consumidores dos seus produtos. 

Acompanhe as novidades e busque melhorias

Uma boa forma de acompanhar o mercado e as atualizações do comércio social é descobrir o que seus concorrentes andam adotando nesse sentido. Porém, não basta apenas se igualar aos outros players.

Seu comércio precisa conhecer as tendências nesse setor e, com um toque de ousadia e criatividade, implementar novas ações que favoreçam ainda mais o crescimento do seu negócio e o relacionamento com o público.

Para isso, é fundamental contar com um profissional destinado a esse fim, que seja capaz de coordenar a execução dessas ações e processo de melhoria. Caso contrário, essa etapa pode ficar perdida em meio a outras obrigações.

Como vimos, o social commerce tem participação direta no sucesso da estratégia digital das empresas de varejo. Com algumas mudanças e a adoção de boas plataformas e tecnologias, sua loja online pode usufruir de tais benefícios. Aproveite essa mudança para conhecer melhor seu público e nortear o negócio conforme esse direcionamento.

Baixe o case: migração
Livraria Florence
Saiba como a Florence teve um crescimento 126% no tráfego orgânico e de 85% na receita desse canal após a mudança de plataforma!

Quero ler o e-book agora!