As Macrotendências para o Marketing Digital nos próximos anos

tendencias-marketing-digital

Quem trabalha com Marketing, independentemente da posição, sabe que o ramo é bastante dinâmico e as coisas nunca ficam iguais por muito tempo. Principalmente para os produtores de conteúdo, aqueles responsáveis por administrar blogs, perfis em redes sociais e criar campanhas, uma coisa é essencial: ficar a par das tendências de Marketing Digital.

Por que é importante ficar atento

É praticamente unânime que os resultados visados com as estratégias de Marketing sejam, basicamente, procurar deixar o consumidor mais próximo de adquirir um produto.

Para o Marketing de Conteúdo, parte importante do Marketing de Atração (também conhecido como Inbound Marketing), aproximar um usuário e transformá-lo em um potencial cliente é o principal objetivo e, para isso, conta com várias estratégias.

Mas então onde entra a atenção para as tendências de Marketing Digital? Ela deve estar presente na hora de escolher temas para novos conteúdos, desenvolver formas de aproximação, escolher as redes sociais para trabalhar, as tecnologias e as estratégias a serem usadas.

As tendências estão presentes e vão apontar as escolhas que devem “fisgar” a atenção do usuário, aproximando a marca dos melhores resultados.

Sabendo da importância de tudo isso, viemos falar hoje das tendências atuais e futuras no mundo do Marketing Digital, aquilo que faz e fará a diferença nessa área.

Mobile hoje e sempre

Praticidade na hora consumir conteúdos, produtos e serviços: é isso que o consumidor gosta e é isso que ele quer, cada vez mais. Por combinar isso, o mobile é uma tendência de Marketing Digital que continua em ascensão.

As compras no e-commerce via smartphone/tablet crescem ano após ano. Em 2017, 28% das transações aconteceram via smartphone, sendo que em 2018 é esperado que esse índice suba para 32%.

Os números têm a ver com o próprio acesso à internet, a forma com que os usuários encontram algum conteúdo ou anúncio: em média, 7 de cada 10 minutos gastos na rede são de acessos via mobile.

E as possibilidades para as marcas são várias, desde a criação de apps especiais da empresa, integração com plataformas existentes – como os marketplaces, por exemplo – e, principalmente, na criação de sites responsivos.

Comunidades locais e geolocalização

Em um mundo cada vez mais dinâmico, conectado e fluido em informações, a valorização das comunidades e negócios locais também surge como uma tendência.

A afirmação não é só nossa, mas também da pesquisa Shifts for 2020, realizada pelo Facebook IQ, agência de comunicação da rede social mais famosa da atualidade.

O estudo apontou que o fortalecimento de negócios locais e as abordagens mais segmentadas de acordo com regiões estão entre as tendências crescentes até 2020.

Nessa onda, a geolocalização também tem se tornado bastante importante para o Marketing Digital. Trata-se da possibilidade de direcionar anúncios, peças publicitárias, ofertas e oportunidades a regiões específicas do globo.

Dentro dessa estratégia, existem diferentes abordagens: geotagging, sites personalizados e check-ins, além dos conhecidos Facebook Ads e Google Adwords.

Conectividade e interatividade

Estar conectado, atento e interagindo constantemente: os consumidores atuais, principalmente os mais jovens (que mais consomem), prezam muito por esse combo.

A expansão do acesso à internet e do uso mobile deixou as pessoas mais independentes em relação às marcas. A tendência é que o desejo de consumir comece na web, com pesquisas em sites e busca por conteúdo, colocando o poder de compra nas mãos dos consumidores.

Isso faz com que eles possam comprar em qualquer lugar, onde eles querem, e, por isso, estão cada vez mais exigentes. Pesquisas indicam que quase metade desse grupo realiza de 3 a 5 pesquisas sobre o produto ou serviço antes de entrar em contato direto com a empresa.

Não à toa, estima-se que 75% dos consumidores que encontram informações úteis sobre um serviço ou produto chegam a consumi-lo visitando a loja física. Nada mal, não é?

Tecnologias interativas

Nos últimos anos, surgiram iniciativas e tendências que atraem esse público oferecendo oportunidades de acesso a informações e conteúdos de forma mais interessante e interativa. A realidade virtual e os chatbots são dois grandes exemplos disso.

O crescimento constante da realidade virtual ou aumentada é um fato, além de ser algo que muitas empresas utilizam atualmente em diversos setores. Em 2017, foram cerca de 11 bilhões de dólares investidos mundialmente em tecnologias de RV, sendo que até o fim da década são esperados mais de 215 bilhões.

Já os chatbots surgiram como formas de ampliar as possibilidades de contato. Ao criar “robôs” que podem conversar e sugerir ações para os usuários, as empresas podem reduzir custos com pessoal ao mesmo tempo que ampliam as formas de se conectar com seus consumidores.

A consultoria Gartner Group já havia colocado os chatbots entre as principais tendências de Marketing Digital em 2017. Mas isso ainda vai valer por muito tempo, considerando como eles passam cada vez mais a fazer parte das redes sociais – Facebook que o diga – e sites de empresas.

Viu só como é importante se manter atualizado? Esses movimentos vêm e vão, e qualquer pessoa que trabalha nessa área precisa ficar atenta a eles para adequar as suas estratégias.