Conheça os principais tipos de plataforma de e-commerce - Tray Corp

Conheça os tipos de plataforma de e-commerce e qual o melhor para sua loja

tipos-de-plataforma-de-ecommerce

Existem vários tipos de plataforma de e-commerce no mercado, escolher o modelo mais adequado às necessidades da sua loja virtual é imprescindível para garantir uma alta performance do seu empreendimento.

A plataforma vai oferecer ferramentas que vão do gerenciamento pedidos e estoque até a integração com formas de pagamentos e tabelas de frete de transportadoras. São tarefas que ficariam por conta do lojista, de forma totalmente avulsa, demandando muitos profissionais e empresas parceiras, o que acarretaria altos custos e muito tempo para colocar a loja no ar.


Todas essas funcionalidades básicas que a plataforma de e-commerce disponibiliza impactam pontos fundamentais de um comércio eletrônico, como aumento de conversão. Quer saber mais sobre as plataformas e conferir os principais tipos para e-commerce disponíveis no mercado? Continue acompanhando e aproveite! Boa leitura!

O que é uma plataforma de e-commerce?

A plataforma de e-commerce é, sem dúvida alguma, uma das peças principais de uma loja online. Estamos falando do sistema que possibilita criar a loja virtual e ainda gerenciá-la, fazendo o cadastro de produtos, modificando preços e estoques, além de outras atividades que fazem parte da rotina de um comércio virtual.

Qual a importância de escolher o tipo adequado de plataforma para o negócio?

A plataforma de e-commerce pode, como vimos, ser resumida como o sistema responsável pela criação e pela gestão de um e-commerce. Isso significa que ela permite realizar tarefas rotineiras, como o controle de estoque, cadastro de produtos, realização de promoções, definição de preços e muitos outros processos ligados a uma loja virtual.

É, portanto, uma das primeiras decisões que o gestor deve tomar, sendo essencial para o futuro do negócio. Por isso, é preciso escolher o tipo mais adequado para suas necessidades. Entre alguns requisitos que a plataforma deve apresentar, estão:

  • oferecer relatórios;
  • proteger os dados pessoais dos clientes;
  • conter ferramentas que permitam a integração com outras sistemas (como o cálculo do frete).

Com tantas opções disponíveis no mercado hoje em dia, é bem comum que se tenha um pouco de dificuldade no momento de decidir pela melhor plataforma. Por isso, confira uma lista com os principais aspectos que você deve avaliar ao fazer a escolha:

  • custos totais;
  • segurança;
  • suporte;
  • capacidade do servidor (fundamental para dar conta de picos de acesso);
  • escalabilidade;
  • responsividade.

Quais são os principais tipos de plataforma?

Confira, a seguir, os principais tipos de plataforma para e-commerce!

1. Open source

As plataformas open source são as que contam com código aberto, ou seja, que pode ser modificado por qualquer pessoa sem necessidade de alteração. Elas possibilitam uma personalização maior (no layout, por exemplo).

Embora possibilitem um alto grau de customização e facilidade no acesso ao código-fonte, há alguns pontos que devem ser ressaltados. Em algumas dessas plataformas, pode ser bem complicado implementar novas funcionalidades, sem contar que o lojista precisa ter total responsabilidade por todo o processo de implementação e também de manutenção.

Essas plataformas são muito usadas por e-commerces que estão iniciando sua operação. Uma das principais razões pelas quais elas se tornaram bastante populares é o fato de serem baseadas em códigos abertos e muitas vezes gratuitos.

Embora seja eliminado o custo de aquisição, isso não significa que não haverá gastos durante a implantação. Isso porque é preciso contar com o auxílio de uma equipe de desenvolvimento que personalizará a plataforma com base nas necessidades do comércio eletrônico. Além disso, o negócio também vai ter de dar conta dos gastos com a hospedagem do sistema.

Logo, embora pareça atrativa e mais em conta, as despesas com implementação e com a manutenção podem fazer tudo ficar mais caras do que o esperado. Ainda, há dois contras que devem balancear a sua escolha:

  • ausência de suporte, já que os desenvolvedores não ficam responsáveis por problemas que podem acontecer e nem oferecem atualizações para correção de falhas, deixando tudo sob responsabilidade da equipe de TI da loja virtual;
  • risco de comprometimento da segurança e de invasão, uma vez que os códigos são disponibilizados para o público.

2. Proprietária

Apesar de ser pouco comum, alguns empreendedores optam por desenvolver a sua própria plataforma de e-commerce. Para tanto, é necessário ter uma equipe técnica interna, que vai ser responsável pela programação do ambiente virtual do e-commerce tanto nos aspectos do front-end quanto do back-end.

O grande benefício dessa opção é o alto grau de personalização: o sistema vai ser criado para atender às reais necessidades do negócio. Além disso, consegue-se ter um bom controle do processo de atualização das funcionalidades e de manutenção da ferramenta.

Apesar dessas vantagens, esse é um projeto complexo, que exige bastante investimento, tempo e um time interno altamente especializado no desenvolvimento desse tipo de aplicação. Além disso, questões como a necessidade de garantir a estabilidade até em momentos de picos de acessos e a escolha do servidor a ser usado também ficam por conta do comércio eletrônico.

Assim, apesar da liberdade e da autonomia que essa opção oferece, os seus gastos extremamente altos e a falta de um suporte externo fazem com que seja uma alternativa pouco vantajosa para a maior parte dos e-commerces.

3. SaaS

Esse é um dos tipos de plataforma de lojas virtuais mais usados. No modelo SaaS, o sistema fica totalmente disponibilizado na nuvem, e o gestor pode ter acesso a ele de qualquer lugar em que esteja e a qualquer hora que desejar (desde que use um dispositivo com conexão à internet).

Nesse caso, uma ferramenta personalizável é desenvolvida, sendo comercializada com base no pagamento de prestações. Em alguns casos, também há a cobrança de uma taxa de participação sobre as vendas. Entre as vantagens que ela proporciona, podemos destacar:

  • atualizações constantes;
  • alta performance;
  • várias possibilidades de integração e de customização;
  • menor tempo de implantação.

Na plataforma SaaS, a responsabilidade sobre questões técnicas é toda dos desenvolvedores da empresa contratada, que disponibilizam uma equipe para soluções de problemas e para suporte. Ao contratar esse tipo de plataforma, você permite que a tecnologia fique totalmente sob responsabilidade de pessoas que pensam sempre em melhorias.

Ainda assim, alguns processos podem ser feitos com uma autonomia maior. Se há a necessidade de mudar um layout ou de cadastrar um produto, por exemplo, isso é feito de forma direta e bastante simples, sem precisar passar por um desenvolvedor.

Também é importante mencionar que a qualidade oferecida por essa plataforma não ficará limitada ao curto prazo, compensando o investimento a médio e longo prazo. Afinal, ao escolher uma plataforma, é fundamental ter certeza de que ela vai atender às suas expectativas não só no início, mas também quando evoluir e necessitar de coisas novas. A plataforma SaaS é, sem dúvidas, a melhor alternativa para grandes operações.

Conhecer os tipos de plataforma de e-commerce é fundamental para ter maior embasamento no momento de escolher a melhor opção para a sua loja virtual. Devido ao fato de muitas rotinas do comércio eletrônico se basearem nesse recurso, tome bastante cuidado e tenha atenção para optar por uma ferramenta que ajude sua empresa a atingir excelentes resultados e a crescer ao longo do tempo.

cta-migracaoPowered by Rock Convert
Solicite uma proposta